Nove Desconhecidos (Liane Moriarty)

Nove Desconhecidos é o novo livro da autora de Pequenas Grandes Mentiras e acaba de chegar ao Brasil para os assinantes do clube Intrínsecos. Em breve estará nas livrarias.

A trama gira em torno de nove pessoas que vão passar dez dias na Tranquilium House, uma especie de SPA de luxo que promete uma transformação completa do corpo e da mente. Os motivos que levam cada um a ir são diversos, mas em comum esta o fato de que cada um quer se desintoxicar de coisas ou sentimentos que lhes fazem mal e ter uns dias de paz.

Uma escritora de 52 anos, divorciada duas vezes e que acabou de sofrer um golpe de um cara que conheceu na internet. Um advogado gay especializado em ajudar mulheres a depenar seus ex maridos judicialmente. Um jovem casal que ganhou na loteria e que agora estão com o casamento em crise. Uma mãe divorciada que tem baixa estima. Um ex atleta viciado em remédios para emagrecer. E um pai, uma mãe e uma filha que estão de luto pela perda do filho que se suicidou. São nove pessoas com historias e problemas diferentes que vão experimentar essa nova terapia em um SPA.

Logo que chegam a Tranquilium House eles percebem que as terapias aplicadas ali são bem diferentes, mas todos estão dispostos a tentar, afinal o programa promete que ao final do decimo dia eles serão pessoas transformadas. Acontece que conforme os dias vão passando essas terapias vão ficando cada vez mais estranhas e eles percebem que há algo errado ali.

Além dos novo hospedes, conhecemos também Masha, a dona da Tranquilium House, e alguns funcionarios do local. Aos poucos vamos conhecendo mais da história de Masha e dessa terapia experimental que ela decide aplicar a seus hospedes.

Cada capitulo é narrado por um dos personagens, a autora conseguiu explorar bem a historia de cada um e transformar o livro num triller delicioso de se ler.

Pequenos Incêndios por Toda Parte (Celeste Ng)

"As vezes é preciso queimar tudo e recomeçar"

Pequenos incêndios por todo parte é um livro que te cativa pela escrita. É uma delicia de ser ler, parece que uma amiga esta te contando uma história e é impossível largar o livro.

Logo no inicio do livro ficamos sabendo que a casa da família Richardson esta em chamas, e que foram encontrados vários pequenos focos de incêndio na residencia. O mais assustador é que ficamos sabendo que a responsável é Izzy, a filha mais nova do casal.  O livro volta algumas semanas para entendermos o que aconteceu e porque uma menina ia colocar fogo na própria casa.

A família Richardson é composta por Helena, seu marido  e quatro filhos adolescentes: Lexie, Trip, Moody e Izzy. Eles vivem em  Shaker Heights, uma cidade "perfeita", cheia de regras que vão garantir a ordem e a harmonia no local. As casas precisam ter o mesmo padrão de cores, ter a grama aparada na altura certa, deixar o lixo somente na parte de trás da casa e próximo a hora de coleta etc. São regras impostas pela prefeitura que visa garantir uma cidade perfeita tanto esteticamente quanto no funcionamento das coisas.

"Era como uma obra de arte, e a arte não deve ter boa aparência, mas sim fazer a gente sentir alguma coisa."

Além da mansão em que vivem, os Richardson possuem uma outra casa, menor, que costumam alugar e nossa historia começa com a chegada de novas inquilinas. Trata-se me Mia Warren e de sua filha de quinze anos, Pearl. Mia e Pearl são o oposto de todos os moradores de Shaker Heights, elas não possuem regras e sempre viveram como nômades, se mudando de cidade em cidade. Mia é fotografa e artista plastica, mas arruma empregos para completar a renda.

Assim que chegam na cidade, Pearl faz amizade com Moddy e posteriormente com Lexie e Trip. Assim a garota passa a frequentar a casa dos Richardson e se encanta com a forma como eles vivem e com a família perfeita que eles tem.  Dos filhos dos Richardson, Izzy é a mais "diferente". Ela não se dá com os irmãos nem com os pais, mas acaba se aproximando muito de Mia. Izzy sonha em ter a vida de Pearl, enquanto Pearl sonha em ter a vida de Izzy.

A historia ganha um drama maior quando uma moça chinesa abandona seu bebê num corpo de bombeiros por não ter condições de cuidar dela. A bebê é adotada por um casal de Shaker Heights, a melhor amiga de Helena, que a dez anos tenta sem sucesso ter um filho. Só que a mãe biológica arruma um emprego (onde Mia trabalha) e se arrepende de ter abandonado a filha e decide lutar para te-la de volta, levando o caso aos tribunais. 

Durante a leitura vamos acompanhando a vida desses personagens de uma forma que é impossível parar de ler. Os conflitos da adolescência, os dramas familiares, segredos que aos poucos vão sendo revelados e temas delicados e polêmicos, tem de tudo um pouco nesse livro.

A autora desenvolve muito bem as histórias e consegue amarra-las todas no final.


Mil Beijos de Garoto (Tillie Cole)

"Viva intensamente, ame intensamente, vá atrás dos seus sonhos, busque aventuras e capture momentos. Viva lindamente."

Pensa num livro que vai te fazer chorar. É este aqui. É impossível ler Mil Beijos de Garoto sem derramar pelo menos uma lágrima.

Aos cinco anos de idade o norueguês Rune se mudou com sua família para os EUA devido ao trabalho do pai. Logo em seu primeiro dia na nova casa ele conhece Poppy, a vizinha da mesma idade e a amizade surge logo no primeiro momento.  Rune e Poppy tornam-se inseparáveis e com o passar os anos vamos vemos o verdadeiro amor desabrochar.


"E então era Poppy e eu desde aquele dia. Poppy e Rune. Melhores amigos até o infinito."

Aos oito anos Poppy tem sua primeira grande perda. Sua avó falece, mas antes dá um presente a garota: um pote para ela colecionar beijos. Poppy e a avó eram muito unidas e a avó adorava contar suas histórias para a neta, principalmente as românticas, só que muitas coisas do que ela já viveu ela não se lembra mais. O presente de Poppy é um pote de vidro com mil corações de cartolina rosa e a ideia é que toda vez que Poppy for beijada, e se for um beijo que fizer o coração quasse explodir de felicidade, a menina deve anotar no coração a pessoa, o local e o que ela sentiu. Assim quando Poppy for velhinha poderá abrir o pote, ler os corações e se lembrar de tudo o que viveu.

"Você vai ter um frasco de tesouro de todos os beijos preciosos que fizeram o seu coração disparar."

Quando Poppy conta a Rune sobre seu pote ele fica enciumado. O menino não quer que sua Poppy beije garotos, por isso ele decide que é ele quem vai dar-lhe os mil beijos e o primeiro acontece ali mesmo, aos oito anos de idade.

O tempo vai passando e a amizade se transforma em amor. Eles estão juntos o tempo todo, apoiando um ao outro até que aos quinze anos tudo muda.

O pai de Rune é mandado de volta para a Noruega e a família toda precisa ir. Rune fica transtornado, ele não quer deixar Poppy, mas ainda é menor de idade e não pode fazer nada. O casal promete se falar todos os dias, e Rune jura que voltará o mais breve possível.

"Beijo número 356. Com o meu Rune em sua garagem... quando ele me deixou."

De inicio eles cumprem o prometido e se falam todo os dias, mas de repetente Poppy some. Ela para de atender as ligações de Rune, não responde mais as mensagens, nem e-mail. O garoto fica desesperado sem saber o que esta acontecendo, ele tenta entrar em contato com a família de Poppy, mas ninguém responde.

A partir daí Rune se transforma. Ele não fala com a família, nutre um ódio pelo pai que o separou de sua amada, passa a beber e a fumar. Dois anos depois, a família dele volta para os EUA e ele quer saber o que aconteceu com Poppy e por que ela desapareceu de sua vida.

"Deu a mim, no presente, o sonho que mu futuro jamais poderia me dar".

Poppy é uma personagem muito cativante, não importa o quanto as coisas estejam ruins ela sempre encontrará um motivo para sorrir. Já Rune tem um lado mais introspectivo e até sombrio, mas Poppy é seu raio de sol.

A escrita desse livro é linda. A autora criou passagens de encher os olhos de emoção. No inicio você acha o livro fofo, o romance dos dois é a coisa mais linda do mundo, mas de repente, quando você descobre o motivo de Poppy ter sumido da vida de Rune seu queixo cai. A partir daí, você se emociona e chora a cada capitulo. O final é arrebatador.

Preparem os lenços.


"Eu sou a garota que acorda cedo para ver o nascer do sol. Eu sou a garota que quer ver o que há de bom em todos, a que é arrebatada por uma música, inspirada por arte. Eu sou esta garota, Rune. A que espera a tempestade passar simplesmente para vislumbrar um arco-íris. 
Por que ser infeliz quando você pode ser feliz? É uma escolha óbvia para mim."


Tarde Demais (Colleen Hoover)

"Acho que essa é a diferença entre ser amada do jeito certo e do jeito errado. Ou você se sente amarrada a uma âncora... ou sente que esta voando"

Mais um livro da Colleen Hoover para despedaçar nosso coração. Tarde Demais é o livro mais forte e violento da autora, não é a toa que logo na capa você encontra o alerta de que ele é para maiores de 18 anos.

Sloan é uma jovem que sempre teve uma vida difícil. Ela foi criada por uma mãe drogada e negligente que nunca cuidou dos filhos, por isso, Sloan ainda criança teve que assumir a responsabilidade de cuidar do irmãozinho deficiente.  Aos 18 anos  Sloan consegue tirar o irmão da casa da mãe e interna-lo numa instituição onde ele passa a receber os cuidados que precisa, assim pela primeira vez na vida a garota pode ter tempo para ela mesma. Sloan entra para faculdade e conhece Asa Jackson, um cara lindo, rico e sedutor. Sloan nunca teve um namorado, ela nunca nem mesmo beijou na boca pois passou a vida inteira cuidando do irmão. 

Sloan começa a se relacionar com Asa e mergulha no encanto do primeiro amor, mas esse encanto vai acabando a medida que ela vai descobrindo o que Asa realmente faz. Asa é um traficante de drogas e aos poucos vai se mostrando ser um cara perigoso. Sloan termina com ele, mas justo nesse momento o irmão perde a ajuda do governo que pagava sua estadia na instituição e a garota fica sem chão. Ela não quer levar o irmão de volta para a casa da mãe e também não tem como sustenta-lo e dar os cuidados que ele precisa, então ela recorre a Asa. O traficante começa a arcar com os custos da internação do irmão e Sloan se vê presa a ele.

"Chorei por deixar que ele faça isso comigo. Chorei por sentir que não tenho escolha. Chorei por ainda estar com ele, apesar da pessoa que se tornou. Chorei por não ter saída, por mais que eu queira ir embora"

Tudo muda quando Sloan conhece Carter na faculdade e um clima surge entre eles. Mas o mundo desmorona quando Carter passa a morar na casa de Asa, onde diversos de seus capangas vivem. Sloan fica arrasada quando descobre que Carter trabalha para Asa nesse negocio sujo de drogas, mas a verdade é que Carter é um agente da policia infiltrado para pegar Asa.

O livro é extremamente violento, as cenas de estupro, violência física e psicológica são constantes. Asa ama Sloan de um jeito doentio e obsessivo e no decorrer da historia vamos conhecendo o passado dele, que também não foi nada fácil, mas nada justifica o monstro que ele se tornou.

"Ninguém deveria levar uma vida sem nunca se sentir verdadeiramente cuidado - nem mesmo pelos pais que o criaram. E, no entanto, vivi isso durante vinte anos. Até este momento."

Os capítulos são narrados por Sloan, Asa e Carter então podemos entrar na cabeça de cada um deles e ver o ponto de vista de cada um. Com certeza é a história mais pesada que Colleen já escreveu, mas não é a melhor. Em matéria de escrita e aprofundamento dos personagens, o melhor livro dela é É Assim que Acaba

É assim que acaba (Colleen Hoover)

"Não existem pessoas ruins. Todos somos humanos e as vezes fazemos coisas ruins"

        Ao pegar um livro da Colleen Hoover para ler você já sabe que vai chorar, afinal ela é especialista em destruir nosso psicológico de uma maneira que amamos. Em É assim que acaba não é diferente e neste livro ela vai abordar um tema que infelizmente é comum para muitas mulheres: relacionamentos abusivos.

Lilly é uma jovem de 22 anos que teve um passado traumático. Durante toda sua infância e adolescência ela presenciou o pai agredindo a mãe e por isso cresceu odiando ele. O pai nunca agrediu a filha, mas espancava a esposa frequentemente e a pequena Lilly via tudo.

Na adolescência Lilly conheceu um garoto chamado Atlas que havia saído de casa e estava morando numa casa abandonada ao lado da casa de Lilly.  A garota começou a levar comida e cobertores para ele, depois passou a convida-lo para ir a sua casa quando os pais não estavam e dessa amizade floresceu um romance. Um romance adolescente, mas que a marcou para sempre.

Já adulta Lilly, no dia do enterro de seu pai, conhece Ryle por acaso e seis meses depois, também por acaso eles se reencontram.  Ryle é um neurocirurgião recém formado que tem como meta ser o melhor neurocirurgião dos Estados Unidos. Justamente por isso Ryle não quer ter nenhum relacionamento sério, ele jura que nunca vai se casar e muito menos ter filhos, pois não pode deixar que nada tire sua atenção da medicina. Só que ao conhecer Lilly tudo muda, pois ele acaba se apaixonando perdidamente por ela.

Os dois engatam um romance lindo e acabam se casando, mas Ryle começa a ter comportamentos agressivos com Lilly e quando Atlas reaparece as coisas pioram bastante.

"Só porque uma pessoa te machuca não significa que podemos simplesmente deixar de ama-la. Não são as ações de uma pessoa que nos machuca. É o amor. Se não tem amor ligado a ação, a dor seria um pouco mais fácil de aguentar."

Essa é uma historia de partir do coração porque Ryle é um personagem que a gente ama logo de cara. Ele é atencioso, amoroso, engraçado, enfim é tudo que a gente ama num personagem masculino. Bem, quase tudo, pois quando fica nervoso ele perde a cabeça e acaba partindo para a agressão. É doloroso porque você torce pelo casal, eles são tão lindos juntos, só que ao mesmo tempo você sabe que Lilly não pode aceitar viver daquele jeito.

Ryle tenta justificar suas atitudes e perde perdão de forma sincera, e Lilly fica tentada a perdoar todas as vezes, mas ela se lembra de como a mãe era vitima das agressões do pai e de como ela jurou que nunca ia permitir que um homem a tratassem assim.

"Enquanto o encaro, penso em como é fácil julgar os outros quando estamos de fora. Eu, inclusive, passei anos julgando a minha mãe".

Lilly ama Ryle e sabe que a Ryle também a ama e por isso vive no dilema de perdoar ou não. Ele jura que vai mudar e que vai se controlar, mas será que ela deve pagar pra ver?

Outro ponto interessante é que muitas vezes Lilly acaba se sentindo culpada pelo o que aconteceu. As lembranças que ela guarda de Atlas fazem Ryle ter uma explosão de ciumes, então ela pensa que se ela não tivesse guardado aquelas lembranças a briga, e consequentemente a agressão não teria acontecido. É a velha historia de se culpar mesmo quando você é a vitima.

Para todas as mulheres que de alguma forma já tiveram um relacionamento abusivo esse é um livro que mexe muito. Ele incomoda porque joga na sua cara coisas que você sabe como são, mas insiste em tentar tapar o sol com a peneira. Além disso vale destacar a escrita sensacional da Collen Hoover, que é simplesmente impossível parar de ler.

"As coisas não deveriam ser assim. Durante toda a vida eu sabia exatamente o que fazer se um homem me tratasse como meu pai tratava a minha mãe. Era simples, eu iria embora, e aquilo nunca mais se repetiria. mas eu não fui embora. E agora aqui estou: com machucados e cortes pelo corpo, causados pelo homem que deveria me amar. Causados por meu próprio marido. E ainda assim tento justificar o que aconteceu"

O final do livro me fez chorar. Acho que foi a atitude mais difícil que Lilly teve que fazer e foi de partir do coração. Quando eu achava que nada mais me abalaria naquele livro, li a nota da autora onde Colleen nos conta que se inspirou na própria mãe para escrever esse livro. Sim, a mãe dela foi vitima de violência domestica quando Coleen ainda era bem pequena. A autora nos conta sobre a mãe e sobre seu relacionamento co  o pai.

POR LUGARES INCRÍVEIS (Jennifer Niven)

Dois jovens prestes a escolher a morte despertam um no outro a vontade de viver.

Por Lugares Incríveis é um livro delícia de se ler, aborda temas fortes como depressão e suicídio, mas é uma leitura que flui perfeitamente. É um livro que te faz enxergar a depressão com outros olhos.

Tudo começa quando a adolescente Violet sobe até a torre mais alta do colégio e fica no parapeito pensativa. A garota esta de luto desde que a irmã mais velha faleceu em um acidente de carro e pensamentos suicidas invadem sua mente. Sim, Violet esta pensando em se jogar do alto do prédio, mas é ai que Theodore Finch aparece.

Theodore é um menino que frequentemente vai até  a torre do sino e pensa constantemente em se matar. Ele pensa em diversas formas de acabar com sua vida. Ele é o menino esquisito da escola, é chamado de "aberração", sofre bullying e com o passar do livro vamos entendendo como sua família é problemática.

Finch e Violet estudam na mesma escola, mas nunca tinham conversado, até aquele momento em que os dois estão no topo do prédio pensando em se matar. 

"Nunca vou machuca-la, não como quero machucar Roamer, mas não posso prometer que não vou desmancha-la, pedacinho por pedacinho, até você ficar em mil caquinhos, como eu."

Durante uma aula de geografia o professor passa um trabalho que deve ser feito em dupla e Finch logo escolhe Violet. O trabalho consiste em a dupla visitar lugares não muito conhecidos no estado em que vivem. A partir daí uma amizade surge, e posteriormente um romance enquanto os dois passam por lugares incríveis.

Tanto Violet quanto Finch estão vivendo momentos delicados de suas vidas e é lindo ver como um começa a dar força para o outro. A autora consegue dar uma alfinetada ao relatar como a depressão é vista por muitos como uma "besteira" ou como "uma forma de chamar a atenção"

"Por que quando minha irmã morreu de câncer ela recebeu flores e homenagens, mas quando meu irmão se suicidou ninguém mandou uma pétala sequer? Vocês realmente acham que ele tinha como escolher não se matar? Vocês acham que se houvesse uma outra alternativa na cabeça dele, ele não a faria?"

O livro é sensível e tocante. Uma ótima pedida para quem curte dramas e histórias desse tipo. A versão para o cinema de Por Lugares Incríveis já sendo produzida e deve estrear em breve.


LEVE-ME COM VOCÊ (Catherine Ryan Hyde)

"As pessoas aprendem com a experiência. Pouco importa o que os outros digam"

Pensa num livro lindo. Uma história tocante e encantadora. Leve-me com você é exatamente assim.

Nesse livro sensacional vamos acompanhar a história de August, um professor do ensino médio que acaba de perder o único filho, Phillip de 19 anos. August e o Phillip costumavam passar os verões juntos viajando pelos parques nacionais dos Estados Unidos e esse ano eles planejavam conhecer o parque de Yellowstone, mas os planos são interrompidos com a morte do garoto.  August decide manter sua promessa de pé e levar o filho a Yellowstone. Ele vai fazer a viagem sozinho e levar um pouco das cinzas de Phillip para deposita-las no parque que o garoto tanto queria conhecer.

A história começa com August já na estrada acompanhado de Woody, seu cachorro. Eles viajam em um motor home, mas ele não contava que o carro desse defeito logo no inicio da viagem. August encontra uma oficina e descobre que uma peça do carro precisa ser trocada. Ele não estava contando com esse gasto extra e teme que não vai ter dinheiro suficiente para chegar a Yellowstone.

É ai que o mecânico faz uma proposta a August: Ele não vai cobrar pelo concerto do carro nem pela peça se em troca August levar seus filhos com ele na viagem. Acontece que o tal mecânico vai ser preso, ele passará três meses na cadeia por dirigir embriagado e não tem com quem deixar os filhos, Seth de doze anos e Henry de sete. August acaba concordando e é aí que uma jornada incrível começa.

"Todo mundo anda por aí perdendo um monte de coisas por não querer que nada de ruim aconteça. Mas quando uma coisa ruim tem que acontecer, simplesmente acontece. De qualquer jeito. Por mais que você tome cuidado".

August, as duas crianças e o cachorro partem numa viagem pelos parques nacionais e pelas maravilhosas paisagens naturais dos Estados Unidos. É uma verdadeira delicia viajar com eles.  Os meninos são uns amores. Seth é um garoto responsável que nunca pode ser criança de verdade pois desde muito cedo teve que aprender a cuidar do irmãozinho. Henrry é um menino calado que não fala com quase ninguém.  Então temos um homem que esta vivendo um luto pelo morte do filho e duas crianças que vivem sendo negligenciadas pelo pai passando três meses juntos e aprendendo coisas incríveis.

"Mas cada um de nós tem alguma coisa que causa tristeza. E ninguém pode nos salvar de todas elas".

A escrita da autora é deliciosa de se ler e com certeza você vai se emocionar muito em diversas partes do livro. A historia nos ensina grandes lições sobre empatia, sobre se colocar no lugar do outro e não abandonar as pessoas quando elas mais precisam. É uma história linda que merece ser lida.

A ILUSÃO DO TEMPO (Andri Snaer Magnason)

"Ela queria ver os dias cinzentos para compreender os dias ensolarados".

Um livro simplesmente MA-RA-VI-LHO-SO. Ainda me pergunto como eu demorei tanto para ler esse livro.

A Ilusão do tempo é um livro que é impossível de largar, a história te prende de um jeito que você simplesmente não consegue parar de ler. Já imaginou se fosse possível parar o tempo? Se amanhece um dia de chuva e você não gosta de chuva, não seria maravilhoso se você pudesse pular esse dia e ir direto para um dia de sol? Viver apenas os dias bons e pular os dias ruins. Seria incrível não é?

Não sabemos onde a história se passa (qual país) e nem em que ano, mas dá a entender que é no futuro. Existe uma crise econômica que esta abalando a nação, todo mundo esta muito preocupado e as noticias não são boas. Vitória é uma criança que vê seus pais não desgrudarem dos noticiários da tv, embora ela não entenda sobre a crise, ela sabe que é grave.

Na tv ela vê o comercial das caixas TIMAX, um produto que esta fazendo o maior sucesso. Consiste em uma caixa preta onde a pessoa entra e o tempo simplesmente para. A pessoa pode programar para quando quer que a caixa se abra e quando isso acontecer o tempo para ela volta a correr de onde passou. Ou seja, a pessoa pode ficar dez anos na caixa e quando ela se abrir a pessoa volta, seu corpo não terá envelhecido nenhum segundo, pois dentro da caixa o tempo não existe. Para a pessoa que esta na caixa o tempo passa num piscar de olhos, no momento que a tampa se fecha, logo em seguida ela se abre. A pessoa não percebe quanto tempo passou.

Assim como a maioria das pessoas, os pais de Vitória decidem comprar três caixas TIMAX e ficarem lá até que a crise passe. Eles programam a caixa para se abrir quando a situação econômica do país melhorar e entram, cada um em uma caixa. Um momento depois a caixa de Vitoria se abre, e ela sai. Vitoria não sabe quanto tempo passou, mas sua casa,  assim como o bairro esta coberto por vegetação e animais e seus pais ainda continuam na caixa. Vitoria tenta encontrar uma chave para abrir a caixa dos pais, mas acaba encontrando um menino que a leva até Rosa, uma senhora que esta cuidando de algumas crianças que também acabaram saindo de suas caixas.  Vitoria, assim como as outras crianças, querem saber o que esta acontecendo, mas Rosa começa a contar uma história sobre um reino, e aos poucos as crianças vão entendo a ligação entre a história e a realidade em que estão vivendo.

"O ar ficou limpo e não se via mais fumaça de aviões atravessando o céu. Eu comecei a plantar batatas e a pescar para comer. O rio não estava mais poluído e os salmões vinham pulando para a minha rede. A Terra despertou quando as pessoas lhe deram um sossego de todo aquele lixo de antes. E eu tive paz para pesquisar a história de Obsidiana".

A história fala de uma época muito remota, onde o mundo todo era uma terra só chamada de Pangeia. Os reis do passado haviam  aprendido com três irmãs a domar os animais com encantamentos, mas elas os avisou para nunca usar os animais contra os humanos.
O atual Rei, Dímon, se apaixonou e se casou com uma bela mulher que acabou morrendo quando deu a luz a filhinha deles. O Rei ficou profundamente triste com a morte de sua mulher, mas decidiu dedicar sua vida para fazer sua filha, Obsidiana, feliz. Ele resolveu que daria o mundo para ela, e saiu em batalhas conquistando territórios para dá-los a Obsidiana. Os anos iam passando e Obsidiana era cuidada ao máximo no palácio pelos criados, ela tinha tudo o que queria, mas não podia ter amigos pois ninguém era digno dela. O Rei pouco via sua filha, pois passava a maior parte do tempo em guerra para conquistar o mundo.

"Não é possível conquistar o mundo, sem conquistar o tempo".

Quando ele retornou para casa, após conquistar o mundo inteiro, Obsidiana já tinha 14 anos e ele percebeu como o tempo havia passado e como ele continuaria passando. Obsidiana era uma jovem linda, mas logo o tempo passaria e ela acabaria envelhecendo, perdendo a beleza e por fim morrendo. O Rei então, decidiu lançar um desafio ao povo, ele prometeu que daria metade do reino para quem conseguisse trazer uma solução que deixasse Obsidiana jovem para sempre, ou seja, ele queria parar o tempo.

Muitos apareceram com ideias absurdas, atá que alguns anões chegaram trazendo uma arca, que foi feita com fios de teia de aranha tão bem unidos que nada podia entrar ali, nem mesmo o tempo. Os anões demonstraram que a arca preservava o que estava dentro dela, pois ali o tempo não existia.

Obsidiana passou a ficar na arca a maior parte do tempo, ela só podia sair quando o dia estivesse muito bonito, sem nuvens e sem possibilidade de ventos e chuvas, ou seja, o dia tinha que ser digno da presença dela. Logo, Obsidiana já estava com mais de 30 anos, mas ainda tinha a aparência de 14. Estando fora da arca por apenas um ou dois dias por ano, a princesa poderia viver por milhares de anos. Ela ficou conhecida como a Princesa Eterna e era idolatrada pelo povo.

"Mas é possível chorar mesmo com o sol brilhando lá fora - disse ela - e rir num dia de chuva e ventania".

Não vou continuar contando porque não quero dar spoilers, mas é uma história tão fascinante e encantadora, mas é ao mesmo tempo é uma alfinetada na nossa vida. Assim como o Rei Dímon, muitas pessoas ficam tão preocupadas em ter as coisas, em acumular coisas que não vêem a vida passar. Quantas  vezes você não quis que o dia tivesse mais de 24 horas porque não consegue fazer tudo o que precisa? Outro ponto interessante é que quando as coisas estão ruins as pessoas entram na arca e decidem ficar lá até que tudo passe. Estão simplesmente fugindo dos problemas, mas se todo mundo entrar na caixa como os problemas vão ser resolvidos?. Ninguem quer ter responsabilidade por nada, se a coisa esta ruim é só entrar na caixa e esperar até que alguém resolva. 

"As pessoas estavam em uma corrida contra o tempo, tentando acumular tantas coisas e tanto lixo quanto pudessem. Destruíram tudo o que havia de belo e agora elas se fechavam dentro de sua própria idiotice."

A Ilusão do Tempo é uma fábula encantadora que merece ser lida e relida.


A GUERRA QUE ME ENSINOU A VIVER (Kimberly Brubaker Bradley)

"É possível saber um monte de coisas e mesmo assim não acreditar em nenhuma delas."

A guerra que me ensinou a viver é a continuação de A guerra que salvou a minha vida, uma história linda e comovente.  Já fiz resenha do primeiro livro aqui no blog, mas recapitulando, no primeiro livro somos apresentados as crianças Ada e Jamie que vivem em Londres com a mãe. 

Ada é uma menina de dez anos que nasceu com uma deformidade no pé chamada de pé torto e por isso não anda direito. A menina passou a vida trancada em casa, a mãe tem vergonha dela e nunca a deixa sair. Além de ouvir coisas horríveis da mãe, Ada também é obrigada a fazer as tarefas domesticas e constantemente é alvo dos castigos e maus tratos da mãe.  Tudo muda quando, devido a guerra, o governo decide mandar as crianças de Londres para o interior, já que a cidade esta em constante risco de ser bombardeada.  Ada e o irmãozinho Jamie vão parar na casa de Susan, uma mulher triste que não queria ter que cuidar de crianças, mas acaba se encantando pelos irmãos. Acompanhando Ada aprendendo a viver e pela primeira vez na vida a receber cuidados e amor.

Nesse segundo livro, Ada é operada e fica com o pé praticamente normal. Outro ponto importante que acontece logo no inicio do livro é que a mãe das crianças morre em um bombardeio e assim Susan fica como guardiã legal delas.  Como a casa de Susan havia sido destruída no fim do primeiro livro, eles se mudam para um chalé emprestado por Lady Thorton. Ada continua com seu jeito de sempre, o que nos irrita as vezes, mas quando lembramos a história de vida dela podemos entender.

"Eu estava apoiada nos dois pés, sem muletas, usando dois sapatos. Conseguia ler, conseguia cantar. Tinha ido até a igreja já caminhando, mesmo sendo um pedação. Precisava me lembrar disso. Tentei me forçar a me sentir feliz, mas por sob a felicidade eu estava espinhosa, como se toda a pele do meu corpo estivesse esticada demais. Eu podia não ser uma aleijada, mas ainda não sabia quem eu era."

A guerra continua a pleno vapor e a mansão dos Thorton acaba sendo ocupada pelos soldades, então Lady Thorton é obrigada a ficar no chalé junto com Susan e as crianças. Outra personagem importante nesse livro é Rute, uma jovem de dezesseis anos que também vai morar no chalé para ter aulas de matemática com Susan. A menina vai a mando de Lorde Thorton, mas Lady Thorton não quer aceita-la pelo fato dela ser alemã. Rute é judia e fugiu com os pais da Alemanha devido as perseguições de Hitler. É muito interessante acompanhar a história dela. 

O livro tem o mesmo encanto que o primeiro, Ada continua apaixonada pelos cavalos, especialmente pelo ponei Manteiga, mas ela ainda tem certo receio de amar e se deixar ser amada pelas pessoas, especialmente por Susan.

É um livro lindo e comovente, que nos mostra o retrato de uma guerra que devastou milhares de pessoas. O livro termina com Ada aos quatorze anos, mas a guerra ainda não terminou.

"Eu me tornei quem eu queria ser."

O ÓDIO QUE VOCÊ SEMEIA (Angie Thomas)

"Qual o sentido de ter voz se você vai ficar em silêncio nos momentos que não deveria"

Livro incrível e necessário. A autora se baseou num fato real para criar uma história que é envolvente do inicio ao fim. Merecidamente o livro ganhou prêmios e figurou em primeiro lugar na famosa lista de livros do New York Times.

Em O ódio que você semeia acompanhamos a vida de Starr, uma adolescente de dezesseis anos, negra que mora num bairro negro. Vale lembrar que nos Estados Unidos ainda é comum encontrarmos bairros onde a população é predominantemente negra. No entanto Starr estuda em uma escola em outro bairro, um bairro branco e ela acaba tendo que manter posturas diferentes. No bairro em que vive ela pode ser ela mesma, mas na escola ela se esforça para ficar o mais neutra possível e não ter atitudes que seriam descritas como a da "menina negra do gueto". Esses dois mundos de Starr não se misturam, os amigos do bairro não conhecem os amigos da escola, ela faz questão de manter tudo separado.

"As vezes você pode fazer tudo certo, e mesmo assim as coisas dão errado. O importante é nunca parar de fazer o certo."

A vida de Starr muda no dia em que ela vai a uma festa no bairro em que mora. Starr não costuma a ir nessas festas, mas nessa especificamente ela acaba indo e encontra Khalil, um amigo que infância que ela não via a algum tempo. Os dois conversam e fica claro que mesmo estando afastados a amizade entre eles continua forte, afinal eles foram melhores amigos durante muito tempo. Uma confusão rola na festa e os dois vão embora, Khalil oferece uma carona para Starr e ela aceita. No meio do caminho o carro é parado por um policial e é ai que o mundo desaba. Khalil é assassinado pelo policial, sem ter feito nada demais e Starr presencia tudo. Khalil é um menino negro de dezesseis anos, estava desarmando e leva três tiros nas costas disparado por um policial branco.

A partir dai Starr passa a ter que lidar com muitas coisas e não para de se perguntar porque o policial atirou, afinal eles não fizeram nada. Por ser testemunha Starr é chamada para depor, ela tem medo, mas aceita ir para que Khalil tenha justiça, só que essa justiça não acontece. A partir dai uma serie de protestos começam a tomar conta da cidade e Starr decide dar a cara a tapa e levar o caso a julgamento, ela vai depor e fazer de tudo para que seu amigo tenha justiça.

"Khalil foi silênciado, mas vamos nos juntar e fazer com que nossas vozes sejam ouvidas em seu nome."

É muito interessante acompanhar a vida de Starr  e entender como é ser negro em meio a uma sociedade racista. Os personagens secundários também são muito interessantes, a questão das gangues e do trafico de drogas estão presentes no livro, além de varias referencia a musicas, series e cultura pop. Enquanto esta na escola também acompanhamos o relacionamento de Starr com as amigas e com Chris, seu namorado branco.

"O namorado de Maya, Ryan, por acaso é o outro único menino negro do segundo ano, e todo mundo espera que a gente fique junto. Porque, aparentemente, se nós somos só dois, temos que participar de alguma p**** estilo Arca de Noé e fazer par para preservar a negritude de nosso ano."

É um livro sensacional, a leitura flui muito rápido, não dá para parar de ler. É um verdadeiro tapa na cara da sociedade, uma história tão realista que não tem como você não parar no meio da leitura para refletir sobre aquilo que leu.