The Underground Railroad (Colson Whitehead)

"Se quiserem ver do que é feita esta nação vocês tem que percorrer os trilhos. Olhem para fora a medida que acelerarem, e vão ver a verdadeira face da América".

The Underground Railroad - os caminhos da liberdade é um livro que foi lançado em 2016, ganhou vários prêmios literários, foi indicado por Obama e entrou para o clube de leitura da Oprah.  No mês passado, nós assinantes da TAG, recebemos o livro da caixinha do clube. 

A história se passa nos Estados Unidos em 1812. Cora é uma jovem escrava que vive na Georgia numa fazenda produtora de algodão. Naquela época era comuns os escravos tentarem fugir das fazendas, mas a maioria era capturada por capatazes e tinham castigos horríveis (uma morte lenta e dolorosa na frente de todos). 

A fazenda Randall se orgulhava de ser um local onde nenhum escravo tinha sucesso na fuga, pois todos acabavam sendo capturados. Isso muda quando Cora ainda é criança, pois sua mãe Mabel consegue fugir e nenhum capataz consegue encontra-la. Hoje Cora é uma jovem caminhando para a idade adulta e que ainda vive na fazenda Randall, ela guarda uma mistura de mágoa e orgulho de mãe. Orgulho por ela ter sido a unica escrava da fazenda a ter sucesso na fuga e mágoa pela mãe não a ter levado junto.

A vida de Cora na fazenda não é fácil, afinal ela é uma escrava. Assim que fica mocinha a garota é violentada e logo percebe como é a vida de uma mulher escrava. O livro retrata bem a vida dos escravos na fazenda e em vários momentos ficamos chocados com o nível de crueldade dos castigos aplicados.

"Uma vez que você ficasse velho, dava na mesma ter 98 ou 108 anos. Nada mais restava no mundo para lhe mostrar, a não ser a última encarnação da crueldade."

A vida de Cora muda com a chegada de Caesar, um novo escravo que acabou de ser comprado. Caesar teve uma história de vida bem diferente da dos outros escravos. Ele e os pais viviam na fazenda de uma senhora idosa que era boa com eles. Eles trabalhavam na fazenda e não tinha salario nem nada, afinal eram escravos, porém não havia castigos, chibatadas nem nenhum tipo de violência. A senhora gostava do menino e quando ele ainda era pequeno ela começou  a ensina-lo a ler. A boa sorte deles acaba quando a senhora morre e os parentes que herdaram a fazenda decidem vender os escravos. Caesar acabou sendo comprado pela fazenda Randall e seus pais foram comprados por outras fazendas. 

Caesar logo fica amigo de Cora e lhe conta sobre uma rota de fuga subterrânea que liga vários pontos dos Estados Unidos. Caesar é o único escravo da fazenda que sabe ler, tem conhecimento de varias coisas e ele acaba colocando em Cora o desejo pela liberdade. Os dois fogem e vão utilizando a ferrovia subterrânea para ir atravessando o país e tentar chegar aos estados do norte onde a escravidão não é mais aceita. Enquanto isso, o dono da fazenda oferece uma recompensa a quem der noticia do paradeiro dos fugitivos, então logo tem um bando de caça escravos atrás deles.

"Ser livre não tinha a nada a ver com correntes ou com o quanto de espaço você tinha. Na fazenda, ela não era livre, mas se movimentava sem restrições em seus acres, experimentando o ar e acompanhando as estrelas do verão. O lugar era grande em sua pequenez. Ali, ela estava livre do seu senhor, mas  enfiada em um esconderijo tão minusculo que não podia ficar de pé".

É interessante ressaltar que a ferrovia subterrânea narrada no livro realmente existiu e foi utilizada como fuga de vários escravos. O autor pega uma base real e cria uma historia fictícia, devo admitir que ela ficou abaixo de minhas expectativas, mas no geral é um livro bom. A narrativa flui bem, o autor usa frases curtas e não fica descrevendo tudo nos mínimos detalhes. O que me incomodou um pouco é que apareceram personagens que simplesmente sumiram da história e eu não entendi qual a utilidade deles ali. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário