Resenha: TARTARUGAS ATÉ LÁ EMBAIXO (John Green)

"Qualquer um pode olhar para você, mas é muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu".

Então eu li o novo livro do John Green e devo dizer que gostei muito. Não é meu livro favorito dele (continua sendo Quem é você Alasca?), mas é um livro muito bem escrito e com uma história que te prende. É curtinho (umas duzentas e sessenta páginas mais ou menos),  li em apenas dois dias e já estou sentindo falta dos personagens.

Tartarugas até lá embaixo vai contar a história de uma adolescente chamada Aza que sofre de um transtorno obsessivo compulsivo. Ela tem um medo irracional de ser contaminada por bactérias e tem um machucado no dedo que nunca cicatriza, pois ela sempre o abre de novo. Aza ainda era criança quando machucou o dedo pela primeira vez, ela forçou a unha do polegar em cima do dedo médio até sangrar. Fez um curativo e colocou um band-aid, mas tinha um medo doentio do machucado infeccionar. Ela sempre acha que já esta infeccionado e que ela vai pegar a temível bactéria C.diff então ela mete a unha no machucado novamente até o corte abrir e deixa o sangue escorrer para tirar do corpo as bactérias que ela acha que estão ali. E a coisa continua assim por anos, como uma espiral, ela esta sempre se machucando e os pensamentos obsessivos tomam conta de sua mente. É interessante ressaltar que o autor, John Green, também sofre de TOC e colocou muito de si mesmo em Aza.

"Você dá poder demais a seus pensamentos Aza. São apenas pensamentos. Eles não são você. Você pertence a si mesma, mesmo quando seus pensamentos não pertencem."

Certo dia, Aza e sua melhor amiga Dayse ouvem a noticia do desaparecimento de uma milionário, e que estão oferecendo uma recompensa de 100 mil dólares para quem der informações sobre o paradeiro dele. Por coincidência Aza já foi amiga do filho do milionário, um menino chamado Davis. Os dois não se viam a anos, apesar de morarem relativamente próximos. Dayse convence Aza a irem até a casa de Davis e tentar descobrir alguma coisa sobre o pai dele, elas estão interessadas na recompensa.

A partir dai Aza e Davis retomam a amizade que tinham na infância e até um romance começa a surgir, mas é difícil para uma menina com os problemas mentais de Aza manter um relacionamento. Quando beija Davis, ela entra em panico pois só consegue pensar nos milhões de bactérias da boca dele que estão passando pra ela.

"Ele esta tentando te tratar como se você fosse normal e você esta tentando agir como se fosse normal mas todos os envolvidos sabem que você definitivamente não é normal. Pessoas normais podem beijar quando quiserem. Pessoas normais não suam tanto. Pessoas normais escolhem os propários pensamentos como escolhem o que vão ver na Tv. Todos nessa conversa sabem que você é maluca".

Quando eu li a sinopse desse livro imaginei que a historia iria girar em torno da protagonista tentando descobrir o que aconteceu com o milionário desaparecido, achei que seria quase uma historia de detetive, mas não é. Davis não quer que investiguem sobre o pai e Aza respeita isso, ela não fica correndo atras de pistas, mas as vezes elas aparecem. Porém o foco principal da historia não é esse, a trama se centra em Aza em sua vida e em sua luta contra si mesma. É triste ver como esses pensamentos a dominam e como ela não consegue fugir de sua própria mente. Aza chega ao ponto de beber álcool em gel para tentar matar as bactérias de seu estomago e de sua boca.

Os personagens são muito bem construídos. Dayse, a melhor amiga de Aza, é uma garota sensacional que escreve fanfics de Star Wars. Davis é um menino que escreve poemas e  citações de filmes e autores famosos. Várias referencias ao mundo nerd estão presentes na história.

No geral é um livro muito bom, muito gostoso de ler e eu super recomendo. Ah! e se você estiver estranhando o título, fique tranquilo porque no meio do livro você vai descobrir o significado de tartarugas até lá embaixo.

"O verdadeiro terror não é ter medo, é não ter escolha senão senti-lo"

                                                                     

Nenhum comentário:

Postar um comentário