Resenha: PASSARINHA (Kathryn Erskine)

"Livros não são como pessoas. Livros são seguros"

Livro lindo, apaixonante e encantador. Durante a leitura dá vontade de pegar a Caitlin no colo e abraçar muito, mas aí você lembra que ela não gosta que invadam o espaço pessoal dela.

Passarinha vai contar a história de uma menina de dez anos chamada Caitlin que é portadora da Síndrome de Asperger, um tipo mais brando de autismo. Caitlin tem dificuldades em fazer amizades, não gosta de ser tocada, leva tudo o que as pessoas falam ao pé da letra e tem suas peculiaridades. A menina tem um dom especial para desenho, é uma artista, mas não usa cores, seus desenhos são em preto e branco porque ela tem dificuldade em entender as cores.

"Eu gosto das coisas em preto e branco. Preto e branco é mais fácil de entender. Cor demais confunde a cabeça da gente".

O mundo de Caitlin muda quando um atirador invade uma escola e deixa dois alunos e uma professora morta e outros feridos. Um dos alunos mortos era Devon o irmão mais velho de Caitlin. Devon era o grande companheiro de Caitlin, era o único que a entendia de verdade e era ele quem a ajudava em suas dificuldades.  A mãe dos dois morreu quando Caitlin ainda era bebê e agora que Devon também se foi a menina só conta com o pai e com a Sra. Brooke, a terapeuta da escola.

Um dia Caitlin ouve a palavra Desfecho ser dita na televisão e corre para ver o significado em seu dicionario. Ela encontra que um desfecho é "a vivência da conclusão emocional de uma situação de vida difícil como a morte de um ente querido". É aí que Caitlin decide que ela e o pai precisam de um desfecho para seguir em frente e ela vai em busca disso.

"O tempo é o melhor remédio.
 Como poderia ser? Um relógio não é como um comprimido ou um xarope. Eu não preciso de remédio. Preciso de um Desfecho."

O livro vai narrar o dia a dia de Caitlin após a morte do irmão e mostra como é ela quem vai ajudar o pai a suportar a perda do filho. Acompanhamos Caitlin na escola tentando superar suas dificuldades e seguir em frente mesmo sem Devon para ajuda-la.  Apesar das dificuldades sociais ela acaba fazendo amizade com Michael, um menininho de seis anos que é o filho da professora morta no ataque a escola em que Devon estudava.

"Embora eu não gostasse da empatia ela é uma coisa que chega assim sem avisar e faz você sentir um calorzinho gostoso no coração".

O titulo passarinha faz referência ao filme preferido de Caitlin e Devon e logo nas primeiras paginas do livro há uma nota da tradutora sobre a tradução feita. O filme em questão é "To Kill a Mockingbird" que no Brasil recebeu o título de "O sol é para todos", porém usar esse titulo ia perder a essência de muitos trechos, por isso a tradutora optou por traduzir o titulo do filme para "Matar Passarinho".   Em inglês o livro Passarinha  tem o título de Mockingbird."

Passarinha é um livro encantador que merece ser lido. Ele foi inspirado no massacre ocorrido em 2002 na Virginia Tech University onde 33 pessoas foram mortas.

"Mas não consigo parar de chorar. Por Devon. Pelo o que aconteceu com Devon. Porque a vida dele foi tirada e ele não pode fazer nada nem se sentir feliz nem orgulhoso nem viver nem amar..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário