Resenha: O MORRO DOS VENTOS UIVANTES (Emily Bronte)

"Seja qual for a matéria de que as nossas almas são feitas, a minha e a dele são iguais"

O Morro dos Ventos Uivantes, um clássico da literatura escrito por Emily, uma das irmãs Bronte, em 1847 é um romance arrebatador que se passa num ambiente melancólico e sombrio. É uma história triste, de partir o coração e mais do que uma história de amor , trata-se de uma história de vingança. 
Não é spoiler dizer que a mocinha morre, pois ficamos sabendo disso no inicio do livro, então logo de cara a gente já sabe que é um romance que não terá um final feliz.

O morro dos ventos uivantes nada mais é do que o nome de uma propriedade. É muito comum nos romances daquela época dar nome as terras, mansões e propriedades em geral. A propriedade em questão recebeu esse nome por ficar na parte alta de um morro, que venta bastante e as árvores fazem o som do vento parecer que esta uivando.  Além do Morro dos ventos uivantes, outra propriedade importante nessa historia é a Granja Thrushcross, onde a historia começa.

O livro tem inicio, com um senhor chamado Mr. Lockwood que acaba de alugar a Granja Thushcross e resolve dar um passeio e ir conhecer seu vizinho e locatário, que vive no Morro dos ventos uivantes. Lá chegando ele conhece Heathcliff, dono das duas propriedades e fica assustado e curioso sobre aquele estranho lugar e sobre os que vivem lá. Além que Heathcliff, um homem sério, amargurado e que não demonstra nenhuma simpatia ao receber visitas, ele conhece alguns dos empregados e uma jovem chamada Cathy, que depois vem a descobrir ser nora de Heathcliff. 

Devido ao mal tempo, Lockwood fica impedido de voltar para casa e é obrigado a passar na noite no Morro dos ventos uivantes, onde vive uma angustiante situação. Ele acaba encontrando o fantasma de uma moça muito bonita e parecida com a Cathy que ele conheceu na casa. Assustado, assim que o dia amanhece ele volta para a Granja Thushcross, mas com a curiosidade aguçada sobre tudo o que viu na noite anterior.  Lockwood acaba pegando uma forte gripe e precisa ficar de cama, é então que ele pergunta a Ellen Dean, governanta da Granja, se ela conhece o Morro dos ventos uivantes e os que vivem lá. Ellen diz que sim, que morou a vida quase toda no morro dos ventos uivantes e conhece toda a história de Heathcliff. Entusiasmado, Lockwood pede que Ellen conte-lhe a história, e é aí que o livro de fato começa.

Ellen Dean era uma jovem criada no Morro dos Ventos Uivantes, que pertencia ao Sr.Earnshaw, que tinha dois filhos ainda criança, um menino chamado Hindley e uma menina mais nova, Catherine. Um belo dia, o Sr. Earnshaw aparece com uma criança, um pequeno cigano, com feições fortes e diferente. O menino era Heathcliff, um órfão que vivia pelas ruas e despertou a compaixão do Sr. Earnshaw, que resolveu adota-lo e passou a trata-lo como filho, o que despertou o ciumes e a ira de Hindley. 
Hindley humilhava e maltratava Heathcliff, mas sempre de forma sutil pois sabia que o pequeno cigano era o protegido de seu pai. Enquanto a relação de Heathcliff com Hindley era de raiva e rivalidade, a relação dele com Catherine era doce e amigável. A menina logo se afeiçoou a Heathcliff e os dois passavam o dia brincando juntos e fazendo travessuras. 

A situação de Heathcliff muda quando, alguns anos depois, o Sr. Earnshaw morre e Hindley passa a humilha-lo ainda mais, tratando-o como um empregado. Por outro lado, a relação com Catherine não muda, os dois continuam amigos e acabam se apaixonando, embora os dois ainda sejam bastante jovens. É interessante ressaltar que não acontece um romance entre os dois, talvez pela idade, mas fica claro que um amor esta nascendo entre eles.

Um belo dia, Heathcliff e Cathy estavam brincando quando acabam chegando a Granja Thushcross, onde vivem duas crianças, os irmãos Edgar e Isabella Linton. Heathcliff e Cathy espiam os irmãos pela janela quando são surpreendidos por um dos cachorros da Granja que acaba mordendo Catherine. Ao ver o que aconteceu a família Linton pega Cathy para trata-la e expulsa Heathcliff. Cathy fica na granja durante alguns dias, enquanto se recupera e quando volta ao morro dos ventos uivantes ela já esta mudada. Ao ter contato com uma vida de riqueza e luxo, a menina percebe que deseja aquela vida, apesar de amar Heathcliff ela deseja se casar com um rapaz rico, como Edgar Linton e ter a vida luxuosa que ele pode lhe proporcionar.

Mais alguns anos se passam e Cathy continua tendo contato com a família Linton, o que machuca Heathcliff, que vê sua amiga, sua paixão cada vez mais distante. Um dia Heathcliff ouve Cathy contando a Ellen Dean que não se vê casada com alguém como Heathcliff, isso faz o menino se sentir ainda mais humilhado e ele resolve ir embora. Catherine sofre com o sumiço de Heathcliff, mas ela já esta decidida a se casar com Edgar Linton.

Um tempo depois, Heathcliff retorna ao morro dos ventos uivantes como um novo homem, totalmente mudado, com boa aparência, rico e educado. Ao ver Heathcliff, agora um cavalheiro, o amor de Catherine floresce novamente, porém ela já esta casada com Edgar Linton. Ela não sabe como lidar com essa situação e seu sofrimento se intensifica. Heathcliff odeia Hindley e os Lintons, mas ainda ama Catherine, porém quando esta morre ele se torna completamente amargurado e jura se vingar de todos que impediram o amor dele e que de certa forma foram os responsáveis pela morte de Cathy.

"Eu não parti teu coração.. foste tu que o quebraste, e quebrando-o, quebraste o meu"

O Morro dos ventos uivantes é um romance que de romântico não tem nada. É uma história triste, de uma amor que não se realiza e deixa todos amargurados. Heathcliff é um homem que teve uma vida difícil e isso o tornou uma pessoa rancorosa, a unica pessoa que ele ama de verdade é Catherine, os demais ele despreza. Catherine é uma moça extremamente mimada, gosta que todas as suas vontades sejam feitas e quando não são ela chega a ficar doente. As vezes é irritante. Ela ama Heathcliff, mas prefere se casar com outro por causa do padrão de vida que ele oferece. 

"Nunca lhe confessei abertamente o meu amor, mas se é verdade que os olhos falam, até um idiota 
                                  teria percebido que eu estava perdidamente apaixonado"

Com personagens marcantes, de personalidades fortes, o Morro dos ventos uivantes é um livro que muitos amam e mutos odeiam. Eu gostei bastante, é diferente de todos os romances da época e uma surpresa para o leitor. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário