Resenha: O CASTELO DE VIDRO (Jeannette Walls)

"Filha, a gente não tem dinheiro para o presente, mas escolhe uma estrela no céu e fica com ela para a vida toda"

Jeannette Walls é uma famosa jornalista nos Estados Unidos, que não gostava de falar sobre seu passado e sua família, até que decidiu escancarar tudo e contar sua historia num livro autobiográfico, o resultado foi o incrível O castelo de vidro.

No ínicio do livro, Jeannette já é adulta e uma famosa jornalista que ao olhar pela janela de um taxi, vê uma senhora moradora de rua revirando o latão de lixo. Olhando mais atentamente ela vê que se trata de sua mãe. A história volta a infância de Jeannette para nos contar a incrível trajetória dessa mulher.

Jeannette nasceu numa família completamente sem noção, vamos dizer assim. Os pais eram completamente negligente com os filhos, eles não maltratavam as crianças, eles amavam os filhos, só que não entendiam os cuidados que uma criança requer. Nem o pai nem a mãe tinham emprego fixo, na verdade eles não tinham nem residencia fixa, viviam se mudando de cidade em cidade e vivendo dos bicos e trambiques do pai.

Desde cedo as crianças aprenderam a se virar sozinhas e se meteram em muitos problemas. No livro Jeannette conta sua vida desde que era bem pequenininha com cerca de 3 anos de idade, até a vida adulta, mas a grande parte do livro se passa durante sua infância e inicio do adolescência. 
Aos 3 anos Jeannette sofre um acidente domestico, se queimando no fogão enquanto preparava salsichas, aí já fica clara a negligência da mãe que dizia que a menina de apenas 3 anos era madura para a idade e por isso podia cozinhas sozinha as vezes. Após alguns dias no hospital, o pai tirou a menina de lá sem a alta do médico, ele não confiava em médicos nem em hospitais, preferia os velhos curandeiros.

"Alguns dias depois de mamãe e papai me levarem para casa, preparei sozinha cachorros quentes. Estava com fome, mamãe trabalhava em uma pintura e não havia mais ninguém para faz-los por mim.
__ Bom pra você __ disse mamãe quando me viu cozinhando __ você tem que voltar a rotina. Não pode viver com medo de uma coisa tão básica quanto o fogo."

O casal, Rex e Rose Mary tem quatro filhos: Lori, Jeannette, Brian e Maureen, mas ficamos sabendo que eles tiveram outra criança que foi encontrada morta no berço. Não há grandes detalhes, mas tudo leva a crer que foi mais um caso de negligência.

Jeannette idolatra o pai, mesmo ele sendo desleixado e gastando o pouco dinheiro que eles conseguem com bebida. Mas o pai, não é má pessoa, é super inteligente, sonhador e parece que Jeannette  é sua filha preferida, mas ele coloca os filhos em diversas situações difíceis. A mãe é outra doida, uma professora de artes que não trabalha e passa o dia reclamando, pintando e fazendo arte que não rende dinheiro algum.

O castelo de vidro é uma lição de vida. Mostra crianças que cresceram passando fome, frio, largadas a Deus dará, foram humilhadas e sofreram abusos, mas conseguiram crescer e se tornar pessoas de bem e profissionais respeitosos como Jeannette.
A escrita é leve com toques de humor até mesmo nos momentos mais dramáticos. A leitura flui fácil e você não consegue largar o livro até terminá-lo.

"Queria olhar para frente, para onde estava indo, não para trás, para o que estava deixando"

2 comentários: