Resenha: TODA LUZ QUE NÃO PODEMOS VER (Anthony Doerr)

"Abram os olhos e vejam o máximo que puderem antes que eles se fechem para sempre"

Quando vi esse livro na livraria a uns dois anos atrás ele me chamou a atenção logo de cara e eu o comprei, mas quando soube que a história se passava durante a segunda guerra mundial acabei deixando ele de lado. É que eu estava numa fase cansada de ler livros sobre a segunda guerra, queria algo diferente. Pois bem, ano passado peguei esse livro e decidir dar uma chance e.... que livro maravilhoso.... amei mesmo

Toda luz que não podemos ver vai nos contar a história de dois personagens que em dado momento terão suas vidas cruzadas. Os capítulos vão se intercalando, hora é sobre a menina, hora é sobre o menino.

A menina em questão é Marie-Laure, uma garotinha de seis anos que mora com o pai em Paris e que acaba de perder a visão. O pai trabalha num museu e para ajudar a filha, ele constrói uma maquete do bairro em que moram para que Marie-Laure possa, com as mãos, ir conhecendo cada rua, cada construção e no futuro possa caminhar sozinha pelas ruas e saiba aonde esta indo. 

O menino é Werner Pfenning, um órfão que vive com sua irmãzinha Jutta em um orfanato na Alemanha. Um dia ele e Jutta estão brincando quando encontram um rádio velho, Werner se encanta com o aparelho e começa a estuda-lo. Desmonta, remonta e consegue  fazer com que o rádio volte a funcionar. O menino se encanta com o aparelho.

O tempo vai passando e Marie-Laure e Werner vão crescendo, tão distantes um do outro. Em meio a isso a segunda guerra esta prestes a começar.

Werner esta com 14 anos e desenvolveu tanto suas habilidades com o rádio que as pessoas levam seus aparelhos para que ele conserte. Um dia um homem importante leva seu rádio para que Werner conserte e vendo a habilidade e a inteligencia do jovem consegue para ele uma bolsa para ele estudar e servir ao governo Alemão. Werner parte para  uma escola nazista onde seu talento é logo reconhecido e aprimorado.

Em Paris, os Nazistas começam a atacar a cidade e o pai de Marie-Laure decide que eles devem sair da cidade e ir para Saint-Malo ficar com um tio. Antes de partir o pai de Marie Laure recebe uma importante missão do museu onde trabalha: levar e esconder um precioso tesouro.

Mais alguns anos se passam e a guerra esta em pleno vapor. As transmissões a rádio ou qualquer outro meio foram proibidas, mas os nazistas sabem que algumas mensagem ainda estão sendo transmitidas. Werner é enviado a várias cidades da França para desativar todos os meios de comunicação clandestina que encontrar. O rapaz procura sinais de rádios e outros aparelhos, até que consegue captar uma mensagem, um pedido de ajuda, enviado por Marie-Laure.

O livro é sensacional com personagens muito bem construídos e não estou falando só dos protagonistas não. E ainda tem todo o mistério do diamante que o museu encarregou o pai de Marie-Laure a esconder. 

É um livro grossinho, mas não chega a ser um calhamaço e a escrita é tão boa que a leitura flui rapidinho. Mesmo para quem esta numa fase saturada de livros que falam da segunda guerra mundial, este aqui vale muito a pena.

Um comentário:

  1. Nossa falou que se passa na segunda guerra já me interessei. Parece ser um livro e tanto. Já quero ler <3
    #listadelivrosparalernasferiashaha
    Estou seguindo o Blog, amei <3
    Beijocas
    Doce Aquarela

    ResponderExcluir