RESENHA: Tess dos d'urbervilles (Thomas Hardy)

      A resenha de hoje é sobre um livro que muitos amam e muitos odeiam: Tess dos d'urbervilles ou simplesmente Tess, dependendo da sua edição.

     O livro foi escrito pelo inglês Thomas Hardy em 1891, ou seja há 126 anos atrás e você deve levar isso em conta na hora de ler, pois a vida e as regras de sociedade naquela época eram bem diferentes.

     Tess é uma jovem de apenas 16 anos que vive com seus pais e seus irmãos mais novos numa zona rural da Inglaterra. São extremamente pobres e os pais de Tess são completamente imaturos. O sobrenome da família é Durbeyfield e um belo dia um pastor conta ao pai de Tess que eles tem parentesco com a nobre família D'urbervilles, que com o passar dos anos houve mudanças na grafia, mas que ele tem certeza de que os Durbeyfield e os D'urbervilles são parentes. Os pais enviam Tess até o condado onde vive uma suposta tia e um primo, os últimos membros da família D'urbervilles e embora o objetivo dos pais é que  Tess vá até lá reclamar sua parte na herança da família, a menina decide ir apenas para pedir emprego.

O suposto primo, Alec D'urbervilles se encanta com a beleza de Tess e oferece a ela emprego para cuidar do galinheiro, a jovem aceita, mas logo percebe as intensões de Alec. Tess se desvia de Alec o máximo que pode, deixando claro que seu objetivo ali é apenas trabalhar, porém numa noite em que os dois estão voltando de um festival na vila, Alec a violenta.  No dia seguinte Alec se desculpa e diz a Tess que irá se casar com ela, mas a jovem o rejeita. Tess sabe que será criticada pela sociedade, que será mal falada e que jamais irá encontrar um marido já que ela não é mais pura, mas mesmo assim ela se recusa a se casar com um homem que não ama e decide voltar para a casa dos pais.

De volta a casa dos pais, Tess descobre que esta grávida e vira motivo de fofoca em toda a vila, afinal naquela época mulher solteira e grávida era vergonha para todos. A vida de Tess vira um tormento e ela dá a luz a uma menina, mas graças a situação extremamente pobre e carente da família a bebê morre em pouco tempo. Após a perda da filha, Tess decide ir embora daquele lugar e tentar a vida em outro lugar.  A partir dai a história se desenrola, ela consegue emprego numa queijaria e conhece Angel Clare por quem se apaixona e passa a viver uma história de amor, cheia de sofrimentos, até chegar a um final trágico.

Esse livro é bem triste e melancólico, basicamente temos uma menina doce e ingênua que após sofrer uma violência mergulha numa maré de azar onde tudo dá errado. Mais uma vez digo que temos que lembrar da época em que esse livro foi escrito para entender tudo o que ela sofreu e como a mulher era vista na sociedade.

A escrita de Thomas Hardy é sensível a até mesmo poética e nos faz mergulhar na vida rural da Inglaterra do século XIX. O livro nos mostra como a mulher era vista e qual a importância que um homem dava a pureza de uma mulher. Isso fica claro com a reação que Angel tem ao descobrir que Tess não é mais virgem. Veja bem, Angel é extremamente apaixonado por Tess, casa-se com ela, mas ao descobrir esse fato do passado e mesmo sabendo que foi contra a vontade dela, ele tem a reação que tem.

Tess é uma leitura que vai te fazer refletir e te fazer ficar bastante irritada por ver como uma jovem linda tem seu futuro destruído por uma situação em que ela própria foi a vitima. Se você é daqueles que torcem por um final feliz vai se decepcionar com o final desse livro, mas de qualquer jeito é uma ótima leitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário