Resenha: CAIXA DE PÁSSAROS (Josh Malerman)

De todos os medos, o que mais perturba o ser humano é o medo do desconhecido.

Quando li a descrição desse livro fiquei doida para lê-lo, ele parecia ter tudo o que eu gostava, suspense, um certo terror, algo misterioso acontecendo....
Comprei o livro e o devorei em poucos dias, e a vontade que tive ao termina-lo era de jogar ele pena janela. mas calma, ele não é ruim, não mesmo, é bom.

A história gira em torno de algo que não sabemos o que é, mas esta causando uma onda de suicídios. As pessoas veem alguma coisa e logo depois cometem suicídio, não conseguem resistir ou controlar, todo mundo que vê a tal coisa ou o tal ser sente uma vontade desesperada de se matar e não para até conseguir. E sempre é de uma forma muito violenta e assustadora como por exemplo, mães matando os filhos pequenos e depois se matando. Como todos que veem se matam, a gente não sabe o que é essa coisa, o que é que eles veem. Isso esta acontecendo no mundo todo, e a cada dia mais e mais pessoas se matam, então a única solução para não ser atingido é não olhar.

Como pode esperar que alguém sonhe em chegar às estrelas se não a permite erguer a cabeça e olhar para elas?


Nossa protagonista é uma mulher chamada Malorie e o livro vai intercalando cenas do passado e do presente. 

 No passado Malorie esta gravida e se abriga numa casa com outras pessoas (entre elas outra mulher grávida). As portas e janelas estão totalmente lacradas, ninguém pode olhar para fora e sempre que eles precisam sair para pegar água no poço do quintal devem fazer isso de olhos fechados, afinal ninguém pode correr o risco de ver e de ser contaminado por seja lá o que for. Eles vivem ali numa espécie de Big Brother, pessoas estranhas tendo que conviver juntas sem poder sair, e é claro que isso gera muitos conflitos. Eles tem um rádio que é a única fonte de noticias do exterior.

No presente acompanhamos Malorie sozinha com seus dois filhos, um menino e uma menina. Do grupo que vivia ali só Malorie e as crianças sobreviveram (uma das criança é o filho dela e a outra é da mulher que estava grávida).  As crianças tem cinco anos de idade e nunca viram a luz do dia, só que os suprimentos estão acabando e Malorie sabe que a hora de sair esta próxima. Já faz um tempo que ela ouviu pelo rádio sobre um lugar para abrigar os sobreviventes e ela decide tentar chegar até lá.  Malorie e as crianças saem com vendas nos olhos e precisam tentar chegar até o abrigo passando por rios e estradas, tudo isso sem tirar a venda em nenhum momento.

O livro de deixa muito apreensivo. Nos capítulos que mostram o passado vamos descobrindo o que aconteceu com o resto do grupo, porque somente Malorie e as crianças estão vivas. Nos capítulos que narram o presente acompanhamos a jornada de Malorie para chegar ao abrigo em segurança.

É um livro que te prende, você não consegue parar de ler porque quer saber o que vai acontecer e principalmente você quer saber o que é essa coisa que as pessoas veem e as fazem se matar.

Então como eu disse, o livro é bom, mas nem tudo são flores. Não vou dizer o final porque é spoiler, mas leia e tire suas próprias conclusões.