Refazendo capas de livros

O post de hoje é uma brincadeira que gosto de fazer. Trata-se de pegar alguns livros que tenham a capa feia e refaze-las, de um jeito que eu acho que fica bom.
Me inspirei num quadro do canal da Beatriz Palludetto e resolvi me arriscar a refazer capas também. O resultado você confere no video abaixo. E fique a vontade para fazer críticas e me dar sugestões de livros com capas feias que mereciam ser refeitas.


Resenha: SORRISOS QUEBRADOS (Sofia Silva)

"Meu reflexo surge no espelho como se o vidro estivesse quebrado, e não eu. Se eu não consigo ver beleza em mim, quem conseguirá?"

A resenha de hoje é de livro que muita gente tem comentado na internet. Trata-se de Sorrisos Quebrados, da portuguesa Sofia Silva. Vi vários posts em grupos literários elogiando o livro, então acabei dando uma chance e gostei muito.

O livro tem um começo de tirar o fôlego. Paola é uma jovem casada que esta prestes a fugir de casa por não aguentar mais as agressões do marido. Quando esta prestes a escapar, o marido a encontra e a arrasta para uma agressão monstruosa. É aquele inicio de livro que te choca pelo nível de crueldade. Foi um verdadeiro milagre Paola ter sobrevivido, mas ela esta quebrada em todos os sentidos.

Seis anos depois Paola vive numa clinica onde faz tratamento psicológico para lidar com seus traumas e medos. A jovem ficou com metade do rosto e partes do corpo totalmente desfiguradas devida a agressão e ela tem medo de tudo e de todos. 

"Nesse dia apanhei pela primeira vez e cometi o segundo erro: perdoei"

Durante uma comemoração de carnaval na clinica Paola conhece Sol, uma menina de quatro anos que também se trata na clinica. Sol é uma criança que não se socializa com ninguém, assim como Paola ela também tem medo das pessoas devido a um trauma que sofreu no passado.  Surpreendemente Sol se afeiçoa a Paola, na verdade Sol gruda em Paola, quer ficar com ela o tempo todo. É aí que Paola acaba se aproximando de Andre, o pai de Sol, e um sentimento entre eles vai surgindo.

É uma relação complicada, tanto Paola quanto André tem traumas do passados, ambos tiveram relacionamentos destrutivos e é difícil pensar em se apaixonar de novo.

"Olhando para mim esta uma mulher com sua beleza destruída, reluzindo no escuro e eu não me assusto mais. Minhas mãos fazem carinho no que alguém quebrou e digo o que ela precisa ouvir:
__ Paola, o lado feio não existe em você. Não mais para mim"

Narrado em primeira pessoa, hora por Paola, hora por Andre, o livro apresenta uma leitura fácil e de forma direta.. Devo confessar que durante a leitura pareceu que eu estava lendo uma fanfic, e quando fui pesquisar sobre a autora descobri que é quase isso mesmo. Sofia escreve histórias do Wattpad e devido ao sucesso que a história de Paola estava fazendo ela lançou uma versão em e-book na Amazon. O sucesso foi tão grande que acabou virando livro físico.

De modo geral Sorrisos Quebrados é uma leitura agradável, o livro é curto e a história flui muito bem. Ele toca em assuntos pesados, mas a mensagem que passa é que você consegue superar tudo, não importa que o mundo tenha tentado de destruir a chave para a felicidade esta dentro de você. 

LIVRO 4 DA SAGA CORTE DE ESPINHOS E ROSAS

Como já foi divulgado Sarah J. Maas vai lançar mais três livros no universo de Corte de Espinhos e Rosas, que não terão Feyre e Rhysand como os protagonistas. Nesse post vou contar tudo o que já sabemos sobre o livro 4

O titulo original é A Court of Frost and Starlight, o que em tradução livre é Corte de Geada e Luz Estelar.

Será lançado dia 1º de maio e já esta a venda na Amazon Brasil por cerca de 36 reais. Lembrando que é a versão em Inglês. Ainda não temos uma data para o lançamento em português.

Diferente de Corte de Asas e Ruína que teve quase 700 páginas, este terá apenas 272.

SINOPSE:

Meses após os eventos explosivos em Corte de Asas e Ruína, Feyre, Rhys e seus companheiros ainda estão ocupados reconstruindo a Corte Noturna e o mundo amplamente mudado além dela. Mas o Solstício de Inverno esta perto e com isso um repouso arduamente ganho. No entanto mesmo a atmosfera festiva não pode evitar que as sombras do passado se aproximem. Conforme Feyre navega seu primeiro Solstício de Inverno como Grã Senhora da Corte Noturna, ela descobre que aqueles que ela ama possuem mais feridas do que parecia - cicatrizes que terão um impacto de longo alcance no futuro da Corte.

O QUE SABEMOS:

- O livro será narrado por Feyre, Rhys e mais dois personagens.

- O cenário é durante o Solstício de Inverno, no aniversário de 21 anos de Feyre.


FRASES DIVULGADAS:

"Nós passaremos o Solstício juntos. Todos nós"

"Eu era estúpida o suficiente para acreditar que, embora a guerra tivesse terminado, todas as feridas foram curadas"

"Estrelas brilhavam em torno de nós, enquanto a doce escuridão se aproximava. Como se fossemos as únicas almas numa galaxia"



Resenha: CORTE DE ASAS E RUINA (Sarah J. Maas)

Se Rhysand era a noite triunfante, eu era a estrela que só brilhava graças a sua escuridão, a luz apenas visível por sua causa".

Finalmente terminei de ler Corte de asas e ruína, o terceiro livro dessa maravilhosa saga. Aqui temos o final da trama de Feyre e Rhysand, mas não exatamente o final desse universo.

O livro começa com Feyre de volta a Corte Primaveril, mas não de volta aos braços de Tamlin. Ela esta muito brava com Tamlin por ter feito o que fez. Pra quem não lembra do final do ultimo livro, Tamlin se uniu ao rei de Hybern para ter Feyre de volta, e acabou envolvendo as irmãs delas, que foram transformadas em féericas ao serem mergulhadas no caldeirão.

"Lembre-se que você é uma loba e não pode ser enjaulada"

Na Corte Primaveril Feyre se sente sozinha, mas tenta manter as aparências e segue como uma especie de espiã, tentando descobrir quais são os planos de Tamlin e de Hybern. Já na corte Noturna Rhysand e amigos se preparam para a guerra que esta cada vez mais próxima. As irmãs de Feyre também estão na corte noturna e ao que tudo indica ambas herdaram poderes do caldeirão.

Como já sabíamos desde o primeiro livro a guerra esta a caminho e nesse terceiro volume ela finalmente chega. Feyre e Rhysand sabem que o exercito de Hybern é grande e poderoso por isso eles tentam a se aliar a todas as criaturas possíveis para terem alguma chance na guerra.

"Eu teria esperado quinhentos anos mais por você. Mil anos. E, se esse foi todo o tempo que nos foi permitido... a espera valeu a pena."

Uma coisa que eu amei nessa saga é a questão do poder feminino #GirlPower.  No livro anterior Feyre se torna a Grã Senhora da Corte Noturna e surpreende a todos, afinal até então só homens se tornam Grã Senhores, nenhuma mulher jamais ocupou esse posto. Não vou dar spoilers do final dessa história, mas posso adiantar que a guerra foi decida pelas mulheres. #YesWeCan.

"O que achamos ser nossa maior fraqueza pode ser, as vezes, nossa maior força.E que a pessoa mais improvável pode mudar o curso da história"

Pra mim a finalização dessa história foi perfeita, ri, chorei e me emocionei muito com o final. Como já foi divulgado a autora vai lançar outros volumes dessa saga, mas não vai ser mais com a historia de Feyre e Rhyssand e sim com personagens secundários, ainda não foi dito qual, mas eu aposto em Amren, Cassian, Lucien ou Nestha. Aparentemente serão mais 3 livros, cada um narrado por um personagem.

O próximo livro será lançado agora em maio dos Estados Unidos e recebeu o título de A Court of Frost and Starlight (em tradução livre Corte de geada e luz estelar) e você pode saber mais sobre ele clicando aqui


Resenha: RETORNO A BRIDESHEAD (Evelyn Waugh)

Retorno a Brideshead foi o livro enviado pela TAG no mês de Janeiro e é uma viagem pela aristocracia inglesa no inicio do século XX. Para quem gosta de arte e cultura esse livro é um prato cheio.

O livro começa durante a segunda guerra mundial quando os integrantes de um batalhão estão prestes a ocupar a abandonada propriedade Brideshead para fins bélicos. Ao chegar ao local, o capitão Charles Ryder conta a seus companheiros que já esteve naquela propriedade antes. A partir dai mergulhamos nas memorias do capitão que nos conta as aventuras que viveu em Brideshead quando era jovem.

O jovem Charles ingressa na Universidade de Oxford e acaba fazendo amizade com Sebastian Flyte, o terceiro filho de uma tradicional  família da aristocracia inglesa, os Marchmain, que tem uma luxuosa propriedade de campo chamada Brideshead. Aos poucos Charles vai começando a frequentar a propriedade da família do amigo e seus sentimentos por Sebastian passam a ser mais que uma simples amizade.

"Naqueles lânguidos dias em Brideshead, eu acreditava estar bem perto do céu"

Sebastian é um jovem ainda um pouco infantil (tanto que tem como acompanhante um ursinho de pelúcia), essa inocência do garoto somado ao fato de ele pertencer a aquele lugar extraordinário encantam Charles.  Quando passa a frequentar Brideshead Charles se encanta com a arquitetura, as pinturas, a arte barroca, a degustação de vinho e tudo o que aquele lugar apresenta.

O livro é dividido em três partes. A primeira se passa na Universidade de Oxford e é quando acompanhamos o relacionamento de Charles e Sebastian, embora não seja nada explicito.  Na segunda parte os jovens passam por uma crise. Charles abandona a universidade e passa a se dedicar a pintura, enquanto Sebastian se afunda na bebida e acaba sendo expulso de Oxford. Na terceira parte..... bem não dá pra falar muito dessa parte senão vai ser um spoiler sobre o final, mas posso dizer que já se passaram alguns anos e Charles já é um homem casado e com filhos.

"__ Você quer mudar?
 __ Mudar é sinal de vida"

O livro todo é um mergulho na cultura da aristocracia inglesa. Logo ao ingressar em Oxford, acompanhamos Charles frequentando os clubes, cafés, seguindo as normas de etiqueta da época etc. Todos os lugares que são citados no livro são locais que realmente existiram (ou ainda existem) e uma nota de rodapé nos informa o que é, qual a importância de cada local.

Durante a história acompanhamos o auge daquela propriedade e também sua decadência. Conhecemos os escândalos da alta sociedade e a questão da religião também é muito discutida. Ler esse livro me lembrou fortemente a Downton Abbey, a premiada serie de tv.

O ritmo do livro é meio lento, não tem muita ação ou algum suspense que te prenda, é um livro para ser degustado. Como já foi citado as paginas estão repletas de notas de rodapé com explicações para os termos e lugares que são citados no livro e isso é um prato cheio para quem se interessa pela aristocracia inglesa.




Resenha: OS 27 CRUSHES DE MOLLY (Becky Albertalli)

"Em geral quando eu conheço um garoto novo, me dá um branco e não consigo pensar em nada para dizer - é assim que uma pessoa acumula vinte e seis crushes e zero beijos."

A resenha de hoje é sobre um livro mega divertido e gostoso de ler, trata-se de Os 27 crushes de Molly.

Molly é uma adolescente de 17 anos que já teve 26 crushes, mas nunca ficou com ninguém, ela nunca beijou ninguém. Molly é gordinha e por isso tem problemas de autoestima, além disso ela sofre de ansiedade e precisa tomar remédios.  Molly tem uma irmã gêmea, chamada Cassie que é totalmente o oposto dela. Cassie é magra e linda, já ficou várias vezes e não tem nenhum problema de autoestima.

Logo no incio do livro Cassie conhece uma menina chamada Mina e as duas começam a namorar e isso acaba que afastando um pouco as irmãs, que antes eram inseparáveis. Para evitar que elas se afastem Cassie decide juntar Molly com Will, o melhor amigo de Mina, assim os quatro podem sair juntos, só que Molly já esta começando a ter seu 27º crush e ele não é Will.

"Cassie não entende. Não foi por acaso que eu tive vinte e seis crushes e nenhum namorado. Não entra na minha cabeça como é possível alguém arrumar um namorado. Ou namorada. Parece a coisa mais improvável do mundo. Você tem que ficar a fim da pessoa certa, no momento certo. E a pessoa também tem que gostar de você. Um alinhamento perfeito de sentimentos e circunstancias. É quase incompreensível que aconteça com tanta frequência".

O mais chama a atenção nesse livro é a diversidade. Molly e Cassie são gêmeas que foram geradas por inseminação artificial, elas são filhas de um casal de mulheres, então elas tem duas mães. Elas tem um irmãozinho bebê que também  foi gerado por inseminação. Cassie é homossexual, Molly é heterossexual e Mina é pansexual.

O livro é contado em primeira pessoa por Molly, então mergulhamos nessa personagem tão maravilhosa. Ela é muito insegura, morre de medo de levar um fora e se sente atrasada em relação as outras meninas que já beijaram e já namoram.

O livro é uma delicia de se ler, tem muitos momentos divertidos o que garante boas risadas. Ele esta disponível na versão física e em e-book. Uma leitura leve e descontraída que você consegue terminar em um fim de semana. Vale a pena


Curiosidades literárias # 1 - O PEQUENO PRÍNCIPE

Olá, estou começando mais um sessão aqui no blog onde vou falar um pouco da história por trás dos livros. Pra abrir esse novo quadro escolhi um clássico que encanta crianças e adultos e todas as idades: O pequeno príncipe.


O PEQUENO PRÍNCIPE
Titulo original: Le petit prince
Autor: Antoine de Saint-Exupéry
Ano de publicação: 1943


IDEIA

O verdadeiro nome do autor era Antoine Jean-Baptiste Marie Roger Foscolombe, e ele possuía um titulo de nobreza que lhe dava o status de Conde de Saint-Exupéry. Sim, ele era um conde, mas trabalhava como aviador e fazia entregas postais.

Nos anos trinta a situação financeira de Aintoine não estava muito boa, mas mesmo assim ele decidiu comprar um avião. O Ministério da Aeronáutica da França oferecia um premio de 1.500 francos a quem conseguisse bater o record de tempo no trajeto Paris-Saigon. 

Com a situação financeira bem delicada (chagaram a cortar a luz e o gás de seu apartamento), Antoine decidiu tentar o premio. Ele e um navegador levantaram voo e partiram, mas o avião deu pane e acabou caindo no deserto Saara onde eles passaram quatro dias sozinhos, com fome, desidratados e tendo alucinações até serem resgatados por um beduíno. Daí surgiu a ideia para a história de O pequeno príncipe.

Apesar de ser francês o livro foi publicado primeiramente nos Estados Unidos. Ele foi escrito durante um exílio do autor nesse país e só foi lançado na França dois anos depois.



A ROSA

Antoine conheceu sua esposa, Consuelo, em uma viagem que fez a Buenos Aires, Argentina. Ele se encantou com a jovem e a levou para voar em seu avião. Nos ares, Aintoine pediu a mão da moça e um beijo, isso mesmo, ele a pediu em casamento no mesmo dia em que se conheceram. Consuelo negou (a mão e o beijo) e Antoine simplesmente desligou o avião e o deixou caindo em parafuso até que ela disse sim. O beijo aconteceu naquele dia, mas o casamento somente anos mais tarde.

A rosa que tanto tosse na história do pequeno príncipe é uma referencia a Consuelo, que sofre de asma. A rosa é frágil, mas de personalidade forte e é assim que Antoine descreve sua esposa. O relacionamento de Antoine e Consuelo foi marcado por diversas idas e vindas.



A RAPOSA

É muito provável que a sábia raposa que aparece na história tenha sida inspirada por um feneco, uma especie de raposa tipica do deserto. Durante o acidente no deserto do Saara, o autor encontrou uma dessas e isso o teria inspirado na criação da personagem.

ASTEROIDE B612

Consuelo nasceu em Armênia, uma cidade de El Salvador, pequeno país da America central. Antoine conheceu a terra natal da esposa e tudo leva a crer que a paisagem do asteroide B612 é a mesma que se tem ao sobrevoar Armênia. Do alto é possível avistar três vulcões além de frondosas árvores, assim como os Baobás e os Ceibas que lemos nos livros.

BRASIL

Antoine de Saint-Exúpery fez diversas escalas no Brasil na época em que trabalhava no correio aéreo. Uma dessas escalas foi em Florianópolis, onde conheceu um pescador que tinha dificuldade em pronunciar seu nome e por isso o chamava de "Zeperri". Inspirado nesse encontro o filho do pescador construiu uma pousada na praia do Campeche e a chamou de Zeperri. A pousada conta com um pequeno memorial homenageando o escritor.
No livro "Voo noturno" escrito por Saint-Exúpery em 1931 o autor cita a cidade de Florianópolis.



O FIM

Em 31 de julho de 1944 Antoine partiu da ilha de Córsega num voo de reconhecimento do território francês ocupado pelos nazistas, mas o avião foi abatido por um piloto alemão. Horst Rippert assumiu ser o autor dos disparos que derrubaram o avião e quando soube que era Antoine de Saint-Exupéry quem estava a bordo lamentou, pois era fã do escritor. Os destroços do avião só foram encontrados 60 anos depois, no mar mediterrâneo, mas o corpo do escritor nunca foi achado.


Muito do que se sabe sobre a vida do autor veio de suas cartas. Ele passou a vida toda trocando cartas com a mãe, amigos e esposa. No dia em que conheceu Consuelo escreveu para ela uma carta de mais de 40 páginas. A ultima carta que o autor escreveu para a esposa chegou dois dias após a queda do avião e dizia:
"Consuelo, eu preciso de suas cartas assim como preciso de pão para viver. Você é meu doce dever, eu gostaria de poder te amparar. Eu só quero dizer que eu te amo. Tenha certeza de que meu amor por você é tão resplandecente como a luz do sol".


FATOS RÁPIDOS

- Com versões em 243 idiomas e dialetos  O Pequeno Príncipe é a terceira obra literária mais traduzida no mundo.

- A primeira edição brasileira foi lançada em 1954 e foi traduzida pelo monge Dom Marcos Barbosa, da Academia Brasileira de Letras. Durante 60 anos ela foi a única disponível no mercado.

- As ilustrações do livro foram feitas pelo próprio autor.

- No Japão existe um museu dedicado ao Pequeno Príncipe. Já na França existe um parque de diversões inspirada no principezinho.

- O livro já ganhou 3 versões para o cinema. Uma em 1967, outras em 1974 e a mais recente em 2015.

- É o livro mais lido na língua francesa.

- Nos anos 70, no Brasil, o livro recebeu o apelido de "livro de miss". Isso deve-se ao fato de que ele era constantemente citado nos concursos de misses como o livro de cabeceira das candidatas.

- A primeira lua de asteroide, descoberta em 1993 foi batizada de Petit-Prince.

- Em 1993, a França lançou notas de 50 franco com a imagem de Antoine de Saint-Exúpery. Foi uma homenagem aos 50 anos da publicação de O Pequeno Príncipe. Um dos lados da nota trazia a imagem do escritor, e o outro lado uma imagem do avião pilotado por ele quando caiu no deserto da Saara ao lado da imagem de seu mais famoso personagem.






Resenha: MATÉRIA ESCURA (Blake Crouch)

"Você é feliz com a vida que quem?"

QUE LIVRO SENSACIONAL!! Matéria escura me surpreendeu de um jeito que há muito tempo os livros não me surpreendiam. É uma história de dar um nó na sua cabeça, mas um nó maravilhoso que você não consegue parar de ler enquanto não desatar tudo.

A história gira em torno de uma homem chamado Jason, que é professor universitário e vive feliz ao lado da esposa Daniela e do filho de 14 anos Charlie.

Numa noite ao sair de um barzinho onde tinha ido se encontrar com um amigo, Jason é sequestrado por um homem mascarado. O sequestrador o coloca no carro e o faz dirigir até uma usina abandonada, num lugar bem afastado da cidade. Lá Jason é obrigado a ficar nu, é agredido e por fim acaba recebendo uma injeção com algum tipo de droga e ele apaga.

Quando acorda Jason esta numa especie de laboratório e percebe que as pessoas estavam esperando pela volta dele. Assustado e percebendo que estão confundindo ele com outra pessoa, Jason consegue fugir e ir para casa, mas ao chegar lá percebe que as coisas estão diferentes. Daniela e Charlie não estão em casa, na verdade não há nenhum sinal deles, os móveis da casa esta diferente, tudo esta diferente.

A principio Jason pensa estar sob o efeito alucinógeno de alguma droga, mas aos poucos vai se convencendo de que não, tudo ali é real, mas não é a realidade que ele conhece. Nessa nova realidade ele não é casado, nunca teve um filho, não é professor universitário, enfim sua vida é completamente diferente. E agora? Qual é a realidade correta? Esta em que ele esta vivenciando ou a outra na qual ele era feliz ao lado da esposa e do filho?

"Se existem mundos infinitos, como encontro aquele que é única e especificamente meu."

A premissa desse livro é sensacional e nos faz refletir sobre nossas escolhas, a cada decisão que tomamos um novo caminho se abre, mas vários outros caminhos se fecham. 

Jason era um jovem cientista promissor que tinha recebido um patrocínio  milionário para um ambicioso projeto, mas aí sua namorada lhe conta que esta gravida. Jason opta pela família, casa-se com Daniela e eles tem o bebê, mas o preço por isso foi abrir mão de sua carreira. O patrocínio foi tirado dele e dado a outro cientista, porque entenderam que Jason não poderia se dedicar 100% ao projeto, afinal ele tinha acado de construir uma família, que precisava de sua atenção. Assim, Jason deixou de ser um cientista renomado e acabou virando professor universitário. Ele é feliz, ama sua esposa e filho mais do que tudo, mas não consegue deixar de pensar no que poderia ter acontecido se ele tivesse investido em sua carreira, será que ele seria um cientista famoso, ganhador de prêmios internacionais?

Na realidade em que Jason é levado após o sequestro, o jovem Jason terminou o relacionamento com Daniela quando ela contou que estava grávida, e ela acabou tirando o bebê. Assim, eles nunca se casaram e Charlie nunca nasceu. Jason dedicou sua vida a sua carreira e se tornou um grande cientista, mas sem família. 

"Não posso deixar de pensar que somos mais do que a soma total de nossas escolhas e que todos os caminhos que poderíamos ter trilhado influem de algum modo na matemática da nossa identidade."

É claro que não vou contar o que acontece, nem como essas realidade se misturam, mas é um livro que te faz refletir muito em nossas escolhas, tudo o que fazemos, a todo momento abrem novos caminhos em nossa vida. Por exemplo, se você levantar agora e for na sorveteria tomar um sorvete, pode ser que encontre alguém lá, vocês começam a conversar e se tornam amigos ou namorados. Quem sabe ele ou ela não será seu futuro marido ou esposa. Mas se você decidiu não ir a sorveteria então talvez vocês nunca se encontrem, você vai encontrar outra pessoa, se casar e ter uma vida, mas aí já são duas realidades diferentes que foram separadas por uma simples decisão que você tomou. Isso é muito louco.

Enfim, esse livro é sensacional. A explicação por trás de tudo faz muito sentido e tudo esta perfeitamente amarrado. Super recomendo esse livro, a capa é linda e a diagramação esta ótima. 


A continuação de A GUERRA QUE SALVOU A MINHA VIDA


Quem me acompanha aqui no blog ou no canal sabe que A guerra que salvou a minha vida foi um dos meus livros favoritos de 2017. Pra quem ainda não viu clique aqui para ler a resenha ou vá na sessão "vídeos" no menu ao lado para ver a vídeo resenha.

A história da pequena Ada encantou muita gente e a Dark Side acaba de anunciar o lançamento da continuação da história que se chamará A guerra que me ensinou a viver.

Após sofrer maus tratos na infância, Ada finalmente tem seu pé operado e se muda com o irmão Jamie, a guardiã Susan e Lady Thorton para um chalé a fim de recomeçar sua vida.

A guerra se intensifica e Ada tem que lidar com as adversidades que isso impõe, como o racionamento de alimentos e os sacríficos que todos devem fazer. Uma nova personagem chega, trata-se de Ruth uma garota judia e alemã, que gera uma comoção no chalé. Seria ela uma espiã disfarçada? Ou uma aliada em meio a calamidade?

Mais uma vez, Kimberly Brudaker Bradley conquista com sua narrativa carregada de sensibilidade. Seu registro historicamente preciso revela o conflito armado pela perspectiva de uma criança, além de lançar luz sobre a atual crise de refugiados, a maior desde a guerra de Hitler, que já obrigou milhões de pessoas a deixarem seus lares em busca de paz.

Discutindo assuntos delicados com ternura, a autora guia o leitor por uma jornada que mostra a beleza dos pequenos gestos. E, ao revelar as camadas de seus personagens, apresenta uma história sobre amadurecimento e aceitação - principalmente para Ada que precisa aprender a acreditar. Acreditar em sua família e em si mesma. Na resiliência que vem da dor. Na superação que vem do medo. Na empatia que reacende a humanidade. E no amor, é claro. Em sua forma mais pura e sincera.

O lançamento do livro será dia 26 de fevereiro, mas você já pode encomendar o seu por pré venda na Amazon, basta clicar no link abaixo

Resenha: RAZÃO E SENSIBILIDADE (Jane Austen)

Quem gosta de romances de época, com certeza conhece os livros de Jane Austen, e se não conhece deveria conhecer. O mais famoso livro da autora é sem dúvida Orgulho e preconceito, mas hoje vou falar de outro livro que foi o primeiro escrito por Jane Austen.

Razão e Sensibilidade conta a história das irmãs Elionor e Marianne Dashwood. Enquanto Elionor é uma moça mais pé no chão e reservada (razão), Marianne é sonhadora e se expressa abertamente (sensibilidade). O livro gira em torno da vida das duas, que precisam achar um ponto de equilibro entre a razão e a emoção.

"Encorajavam-se uma a outra na violência de suas ansiedades"

Elionor e Marianne tem uma irmã mais nova e um meio irmão mais velho, quando o pai morre a herança fica toda com o irmão, por ser o único filho homem. As meninas e mãe passam a morar com esse irmão, mas a esposa dele não as suporta e as três acabam se mudando para uma casa no interior.

Na nova cidade O coronel Brandon se apaixona por Marianne, mas ela o rejeita por achar ele muito velho.  Marianne acaba se apaixona pelo jovem Willoughby, os dois ficam amigos e conversam bastante. Por ficarem muito tempo juntos Marianne acredita que o amor que sente por ele é reciproco e quando ele precisa partir inesperadamente ela sofre muito e deixa isso claro para todos, afinal ela é a sensibilidade em pessoa. Todos acreditam que há um compromisso entre eles, já que eles estavam sempre juntos,  e Marianne se contenta em esperar pela volta do amado. Marianne acredita que ele irá voltar e  a pedirá em casamento, embora ele nunca tenha dito nada em relação a isso. Elionor é a única que mantem os pés no chão e não acredita que exista um relacionamento entre eles.

Enquanto Marianne sofre abertamente, Elionor se apaixona por Edward Ferraz embora saiba que a família dele não a aceitaria. De seu jeito reservado e racional Elionor acaba descobrindo um segredo sobre Edward.

"Apesar de atraente, a ideia de nossa felicidade depender de outra pessoa nem sempre é possível"

O livro acompanha as duas irmãs amadurecendo e tendo que lidar com seus sentimentos e angustias. Não é o melhor livro de Jane Austen, mas é uma história bem envolvente e se você curte romances de época acho que vai gostar muito desse livro.