AS CAPAS MAIS ESTRANHAS DOS LIVROS.

"Não julgue um livro pela capa", diz o ditado, mas todo mundo sabe que uma boa capa influencia na compra do livro sim. Quantas vezes você já passou por uma livraria e achou um livro com uma capa tão linda que quis compra-lo imediatamente. Claro, que ter a capa bonita não significa que o livro é bom, mas que ajuda na divulgação, isso ajuda.

Entretanto algumas editoras parecem não ligar muito para as capas, em alguns casos parece que colocaram uma imagem qualquer na capa e já mandaram para a impressão. A seguir listo algumas dessas pérolas da estética literária. 


AMOR DE PERDIÇÃO 

Esse livro (que tem resenha aqui no blog) tem diversas edições, com várias capas, das mais bonitas até esta, que na minha opinião é a mais feia. 

O que é essa imagem exatamente? Pra mim parecem glóbulos sanguíneos. Inclusive acho que já tive um livro de biologia com uma capa parecida. Olhando mais atentamente pode ser que sejam pétalas, mas tá bastante confuso.

Não dá gente, essa capa realmente essa estranha demais, uma pena pois o livro é excelente.






O CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON 

História linda que deu origem a um filme incrível, mas o que é essa capa? Primeiro que qualquer pessoa consegue fazer uma capa dessas até mesmo no paint (será que eles pagaram alguém pra fazer isso ou pediram pro filho fazer num momento vago?). 

Basicamente é uma capa toda azul com um circulo amarelo e letras simples. Para completar a obra ainda colocaram a imagem de uma cegonha carregando um homem adulto.  Será que eles leram o livro pra saber que o tal Benjamin não nasce com o tamanho de um adulto?







NADANDO DE VOLTA PARA CASA

Ok, não sei nem por onde começar, achei essa capa horrível. Isso era pra ser uma piscina? Não sei, mas se for esta muito mal feita. E essas pernas, o que significam? Devido a aqueles tracinhos ali (não sei se queriam fazer pingos de água) acho que a intensão era colocar alguém nadando. Mas deu errado, muito errado.  Essas pernas não parecem estar nadando, parece que a garota esta deitada na beira da cama com as penas esticadas.

Pra que misturar imagem digital com fotografia? Ok, em alguns casos essa mistura até funciona, mas não neste. E não podemos deixar de falar nessas letras em formato de um Z ao contrário e do título já começar com letra minuscula. 



ONE, TWO, THREE PULL

Esse livro não ganhou uma tradução em português, mas você consegue encontra-lo no site da Amazon. É um livro infantil e nem vou comentar essa capa.









SÓ AS MULHERES E AS BARATAS SOBREVIVERÃO

Esse livro ta aqui e nem é tão assim pela capa. Ok, a capa não é uma maravilha, mas também não é a das mais feias. As letras do título são quadradonas demais e isso me incomoda. A ilustração até que não ruim não, mas coloquei esse livro aqui pela bizarrice da história.

Li a sinopse e se trata de uma mulher que estava saindo do banho para um encontro e em cima de seu vestidinho preto básico estava uma barata. Imobilizada pelo inseto a mulher não consegue sair de casa e começa a refletir sobre toda a sua vida.

Resenha: GLENRAVEN (Marion Zimmer Bradley e Holly Lisle)

Comprei esse livro a uns dois anos atrás numa feira aqui da minha cidade e confesso que nunca tinha ouvido falar nele. Como o preço era bacana e a capa me chamou a atenção resolvi dar uma chance. Ele ficou parado na minha estante por meses e só recentemente é que fui lê-lo. E só recentemente é que fui reparar que ele foi co-escrito por Marion Zimmer Bradley, a autora de um dos meus livros preferidos: As brumas de Avalon.

Glenraven é uma história de fantasia que mistura os dias atuais com a Idade Média. Bom, dias atuais em termos né, já que esse livro foi lançado em 1996.

A história gira em torno de duas amigas que resolvem passar férias num misterioso país chamado Glenraven, um lugarzinho isolado no coração da Europa. Tudo começa quando Sophie esta numa livraria e encontra um livreto, tipo um guia turístico de uma tal Glenraven, lugar que ela nunca tinha ouvido falar. Imediatamente ela se sente atraída pelo o lugar, como se precisasse ir lá, ela não entende o porquê, mas sabe que deve ir. 

Sophie então decide passar as férias em Glenraven e acaba convidado a amiga JayJay para acompanha-la.  JayJay não tem intensão nenhuma de viajar, mas acaba concordando sem saber como nem porquê, ela abre a boca para dizer não, mas o que sai é um sim. Tanto Sophie como JayJay estão vivendo momentos difíceis, JayJay esta prestes a se divorciar pela terceira vez e Sophie ainda não conseguiu superar a morte da filha.

As duas organizam tudo e embarcam na viagem para o estranho país. Na estrada elas se encontram com um guia que as espera e as coisas já começam a ficar esquisitas. O guia pede a elas que troque de roupa, diz que elas não podem entrar em Glenraven de jeans e camiseta. As moças recebem roupas da idade média, roupas masculinas e  o próprio guia se espanta ao ver que os visitantes forasteiros que iriam chegar são mulheres e não homens.  O guia diz que vai se adiantar um pouco para elas terem privacidade para se trocar e que eles se encontram mais adiante. As duas se trocam, mas não encontram mais o guia, por sorte elas ainda tem o livreto com o mapa do lugar e assim as amigas entram em Glenraven sem saber no que estão se metendo.

Glenraven é uma terra mágica habitada por três raças: os Alfikindirs que são a elite, possuem a magia mais forte e escravizaram as demais raças, os Aregens que possuem poderes mágicos forte, mas que estão quase extintos e os Machnam que são praticamente escravos, possuem pouca magia e tem a aparência de humanos. A rainha do lugar é Aidris Akalan, uma alfikindir com mais de mil anos, que governa com uma crueldade extrema. O objetivo dela é se tornar imortal e ela não vai medir esforços para conseguir isso.

Para tentar se libertar do domínio de Aidris, os aregens uniram seus poderes e o colocaram em um livreto que deveria guiar heróis estrangeiros para Glenraven na esperança deles salvarem o país. Esse livreto é o guia turístico que Sophie encontrou na livraria e por isso ela foi atraída para Glenraven.

A história se desenrola com muitos elementos mágicos e seres fantásticos, as duas protagonistas precisam superar muita coisa se quiserem ter alguma chance contra Aidris. 

Esse livro tem seus prós e contras (na minha opinião). Acho ele um bom livro de fantasia, pra quem curte o gênero  vai embalar na história. Um ponto positivo é que ele é pequeno, são pouco mais de 300 páginas, ou seja se você quer ler uma fantasia, mas não quer uma dessas que tem 6 volumes com 500 paginas cada, Glenraven é uma boa pedida.

O ponto fraco que eu achei é que o livro deixa muitas perguntas sem respostas, tipo como Aidris se tornou a Rainha suprema? Porque as outras raças perderam a magia? enfim, são coisas sobre o passado de Genraven que não são esclarecidos. As protagonistas também são bem irritantes as vezes, ficam reclamando da falta de conforto do lugar e são desconfiadas de tudo.

Enfim, se você gosta de livros de fantasia devia dar uma chance a Glenraven.

Resenha: A GUERRA QUE SALVOU A MINHA VIDA (Kimberly Brubaker Bradley)

"Você é perfeitamente capaz de aprender. Não dê ouvidos a quem não conhece você. 
Escute o que sabe. Escute a si mesma."

Meu Deus! Que livro sensacional. Estou encantada com essa história, acho que todo mundo deveria ler, é simplesmente lindo, é triste em algumas partes, mas é uma história incrível que certamente vai cativar o seu coração.

A guerra que salvou a minha vida vai contar a história de uma menina com mais ou menos dez anos de idade chamada Ada, que vive em Londres no fim dos anos 30 com a mãe e o irmão mais novo. Ada nasceu com uma deformidade no pé esquerdo, chamado pé torto, por isso ela não consegue apoiar o pé completamente no chão e não anda. A mãe de Ada tem vergonha de ter uma filha com uma deficiência e por isso não permite que a menina apareça em público. 

Ada nunca saiu de casa, ela vê o mundo através de uma janela. Ela vê seu irmão Jamie, de seis anos, sair e brincar com as outras crianças, mas ela não pode ir. Ada não anda, ela se rasteja pela casa e é obrigada a preparar o chá para a mãe e a limpar a casa, mesmo com suas dificuldades de locomoção.  Além de viver presa, Ada é constantemente maltratada pela mãe, tanto com palavras quanto com agressões física.Quando faz algo que a mãe considera errado, a menina é trancada num armário embaixo da pia, um local pequeno, úmido e cheio de baratas que sobem pelo rosto da menina. A mãe negligencia as duas crianças, elas vivem com fome e sujas, pois raramente tomam banho.

"A Mãe nunca me tocava, exceto para me bater."

Um belo dia Ada decide tentar andar, ela acredita que se a mãe a vir andando vai deixa-la sair de casa. Então todos os dias, assim que a mãe sai para o trabalho e Jamie vai para escola, a garota tenta ficar de pé se apoiando nos moveis e treina seus primeiros passos.

Estamos no final dos anos 30 e a Segunda Guerra Mundial esta prestes a explodir, por isso o governo inglês decidiu mandar as crianças para o interior, a fim de protege-las já que Londres pode ser bombardeada a qualquer momento. É claro que a mãe não pensa em mandar Ada, a menina não sai de casa, ela terá que ficar em Londres com ou sem bomba.  Mas Ada quer ir, ela vê que essa é a oportunidade de finalmente sair, de conhecer o mundo. Então no dia agendado, ela e Jamie saem de casa bem cedo e vão para escola onde as crianças estão sendo organizadas para serem levadas de trem até o interior da Inglaterra.

Ada e Jamie vão para uma cidadezinha no interior, onde as crianças são destinadas a lares provisórios. Por serem crianças desnutridas, sujas e por Ada ter uma deficiência ninguém quer ficar com eles, mas a inspetora acaba os levando até a casa da Srta. Smith e obriga a mulher a acolhe-los. 

"Então o salão ficou vazio, exceto pelas professoras, a mulher de ferro, o Jamie e eu. A Mãe tinha razão. Ninguém queria a gente. Fomos os únicos que não tínhamos sido escolhidos."

A partir dai a história fica encantadora. Ada começa a conhecer o mundo, a conhecer as coisas e principalmente a conhecer o afeto, o carinho e os cuidados que uma criança merece. A Srta Smith não queria crianças porque passa por momentos depressivos devido a morte de sua amiga, mas é justamente a presença das crianças que vai ajuda-la a voltar a ter gosto pela vida.

Me emocionei muito com a história de Ada, essa garotinha me cativou completamente. A história é narrada por ela, então a gente consegue entrar dentro da cabeça dela e é doloroso ver como uma criança que passou a vida toda sendo humilhada e maltratada pela mãe se sente. Mesmo quando recebe carinho e atenção da Srta. Smith, Ada se retrai, ela acha que não é digna de receber carinho porque ele é "um monstro" como a mãe sempre lhe disse.

"A voz da Mãe ecoou em minha cabeça. Sua porcaria horrorosa! Lixo, imunda! Ninguém quer você com esse pé horrível."

Essa é uma daquelas histórias encantadoras, que toca fundo no seu coração. Não tem como não se emocionar, com certeza seus olhos vão se encher de lágrimas em diversas passagens desse livro. É lindo demais.

O livro retrata a realidade que muitas crianças viveram naquela época ao serem tiradas de suas famílias para viverem em lares temporário. O governo pagava para as famílias receberem essas crianças, então muitos viam isso como uma fonte de renda e muitas crianças eram negligencias e maltratadas. Também vemos que com o passar do tempo (a segunda guerra durou de 1939 à 1945) as famílias levavam seus filhos de volta a Londres por não querer ficar longe deles e acabavam expondo as crianças ao risco dos bombardeios.

"Enfim eu compreendi qual era a minha luta e porque eu guerreava. A Mãe não fazia ideia da forte combatente que eu havia me tornado"

O livro é da editora Dark Side, então a gente já sabe o capricho que a edição tem. Esta tudo muito bonito, capa dura, marcador de fita, ótima diagramação e a contra capa é sensacional.


Resenha: O DESPERTAR DO PRÍNCIPE (Colleen Houck)

           "A eternidade é um tempo longo demais para não se ter alguma coisa para lembrar"            

Sou meio suspeita para falar de livros que abordam mitologia, seja ela grega, romana, egípcia, nórdica etc. Amo de paixão e esse livro me cativou logo de cara.

O Despertar do Príncipe é o primeiro de uma trilogia que conta a história de uma garota de 17 anos chamada Liliana, ou simplesmente Lily, que vive uma vida de luxo. Lily mora com os pais super ricos em um luxuoso hotel no centro de Nova Iorque, só usa roupas e acessórios de grife e recebe uma gorda mesada, mas nem por isso ela é uma garota metida ou esnobe. Apesar da vida aparentemente boa, Lily sofre por não ter muitos amigos e por não 
ter tantas liberdades de escolha. Os pais são super rigorosos, além de exigirem notas altas na escola, eles querem escolher a carreira que ela vai seguir e ainda por cima a garota só pode fazer amizade com quem eles aprovem.

Um belo dia Lily esta no Museu de Nova Iorque, onde costuma ir com frequência, e acaba indo para uma seção reservada para poder ler em paz, mas de repente escuta barulhos estranhos. Lily segue o barulho e acaba encontrando um sarcófago vazio, a principio ela pensa que é parte de uma nova exposição egípcia que o museu fará, mas de repente eis que ela se depara com uma múmia.  

Não é múmia como estamos acostumados a ver nos filmes, com aquelas faixas e tal, a múmia que Lily encontra tem aparência humana, e boa aparência diga-se de passagem.  A tal múmia se chama Amon e ele esta completamente perdido, não era para ele ter despertado no meio de Nova Iorque, ele deveria acordar no Egito para se preparar para o ritual de alinhamento dos planetas.

"O Deus Seth exige que três jovens de sangue real sejam sacrificados a ele para lhe servir eternamente na vida após a morte. Caso contrário, ele jura que fará chover destruição sobre todo o Egito."

Amon percebe que no sarcófago em que despertou não estão seus vasos canópicos. No Egito antigo durante o processo de mumificação os órgãos da múmia eram retirados e guardados em vasos canópicos, que eram colocados no sarcófago junto com a múmia. Sem seus vasos canópicos, ou seja sem seus órgãos, Amón não tem energia e a única saída que ele encontra é se conectar com Lily através de um encantamento e assim poder usar a energia vital dela para se manter "vivo".

       "__Você não esta entendendo. Sem os meus jarros, eu preciso compartilhar da sua força vital.
     __ Compartilhar da minha.... Bom, olhe só,  é que neste momento eu estou usando a minha força vital, entende?"

Amon conta a Lily que a cada mil anos ele e os dois irmãos são despertados para juntos realizarem um ritual no dia do alinhamento planetário, que irá manter a paz sobre o Egito por mais mil anos.  É claro que a principio Lily não acredita nele e até tenta leva-lo ao um hospital achando que trata-se de um doente mental, mas Amon prova através de sua magia que de fato é o deus do sol.

Estando ligada a Amon, a jovem Lily aceita viajar com ele até o Vale dos Reis, no Egito, para encontrar os irmãos dele e realizar o ritual e é claro que os dois vão encontrar muitos problemas e aventuras no caminho. Um romance entre os dois vai surgindo lentamente, mas Amon se nega a se relacionar com Lily devido a um forte motivo, mas Lily não sabe disso e se sente rejeitada, então já dá pra sentir o drama né.

"O símbolo é um sinal de proteção do deus do sol e um lembrete: quando somos privados de tudo aquilo que valorizamos, finalmente conseguimos ver a verdade".

O livro tem de tudo, aventura, romance, suspense e humor, existem passagem muito divertidas. É uma história que com certeza vai te envolver e o final dela já dá o gancho bombástico para os próximos volumes, que já foram lançado. 

                            

Resenha: O ADULTO (Guillian Flynn)

Eu sou fã da Guillian Flynn apesar de não amar todos os livros dela. O primeiro livro que li dela foi Objetos Cortantes e amei. Depois li Garota Exemplar e em seguida Lugares escuros. Esses já não gostei tanto, mas recentemente li O adulto é adorei.

O Adulto na verdade é um conto. O livro é fininho, tem umas 60 páginas mais ou menos. Interessante é que esse conto já tinha sido publicado no Brasil no livro de contos "O Príncipe de Westeros e outras histórias" de George R.R Martins e Gardner Dozois.

O Adulto conta a história de uma moça que trabalha de.... bem.... se tiver alguma criança lendo isso é melhor parar por aqui, esse livro não é pra você.

Muito bem, o trabalho dela é bater punheta. Sim, isso mesmo. Ela não é uma prostituta, ela não faz sexo com os clientes ela apenas bate punheta. E ela tem muitos clientes, homens que vão lá para "relaxarem" um pouco.  Só que após anos fazendo isso ela começa a ter problemas no pulso e a dona do local a coloca em outro cargo e decide transforma-la em vidente. Com um pouco de astucia ela começa a perceber que o trabalho é moleza. Geralmente as clientes são mulheres e tudo que ela tem que fazer é prestar atenção no que elas dizem e depois dar um "parecer" ou seja, fazer uma revelação meio enigmática do tipo "uma grande paixão esta prestes a aparecer em sua vida" ou "você precisa ter cuidado ou isso irá ofuscar o que é importante para você".

"As pessoas são idiotas. Nunca vou conseguir aceitar quão idiotas as pessoas são"

Assim ela muda de profissão e passa a ser vidente, na verdade uma vigarista que engana as pessoas com suas falsas previsões, até que aparece uma cliente chamada Susan Burke e ela logo percebe que Susan é uma mulher inteligente e que não será tão fácil engana-la. Susan conta que acabou de se mudar para uma nova casa com o marido, o filho pequeno e o enteado adolescente que esta lhe dando muito trabalho. Susan acredita que a casa é mal assombrada e pede a vidente que vá até o local fazer uma "limpeza espiritual" na casa. Ela aceita o trabalho pelo dinheiro e passa a ir lá quase que diariamente para "purificar" a casa. Só que quando ela chega na mansão Burkes ela começa a perceber coisas realmente estranhas no lugar e principalmente em Miles, o enteado de Susan.

"A casa era naturalmente escura. Você se afastava de uma janela e a penumbra se instalava. Susan acendia as luzes conforme avançávamos"


Esse é um conto de terror  e por ser pequeno pode e deve ser lido de uma vez só. Eu achei sensacional, o jeito como a autora manteve o suspense prendendo a atenção do leitor até o fim. 

Se você gosta de historias de terror e suspense acho que vai curtir bastante O Adulto.



                                                                        

Resenha: O ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE (Agatha Christie)


A resenha de hoje é sobre um livro que esta prestes a estrear no cinema. Trata-se de O assassinato no expresso do Oriente, publicado em 1934 e escrito pela dama do crime Agatha Christie. O livro já teve três adaptações para o cinema, mas essa nova versão esta sendo bem aguardada por conta do elenco maravilhoso que trás Johnny Deep, Penélope Cruz, Michelle Pfeiffer entre outros grandes astros.

Na história o detetive Hercule Poirrot esta na Turquia quando recebe um telegrama solicitando que ele volte imediatamente para Londres. Poirrot sai as pressas no hotel e embarca no luxuoso Expresso do Oriente e logo estranha o trem estar lotado naquela época do ano.

Logo um passageiro se dirige a Poirrot e lhe pede ajuda, diz que esta correndo risco de vida e que precisa de um segurança. Poirrot não dá ouvidos e a viagem segue.  Quando estão passando pela Iugoslávia uma forte nevasca cai e o trem é obrigado a parar e esperar a tempestade passar. Durante a madrugada o passageiro que pediu ajuda é assassinado a facadas em sua cabine, sendo que a porta estava trancada por dentro. Devido a nevasca todas as portas e janelas do trem estão travadas, o que significa que o assassino esta dentro do trem. E agora? Quem é ele?

                                                      "Não se pode fugir dos fatos"

A partir daí o leitor se torna detetive junto com Poirrot e vai em busca de pistas. Ouvindo os passageiros, analisando os fatos, juntando as peças para tentar desvendar quem é o assassino e qual o motivo do crime.

O livro é no tradicional e maravilhoso estilo Agatha Christie, ou seja, não dá pra parar ler. Como todos os livros dela, esse não é grande tem cerca de 200 páginas o que significa que dá pra devorar em um dia.

Uma curiosidade é que esse livro foi inspirado em um fato real, sem envolver o assassinato. A inspiração da autora foi uma forte nevasca que impediu o Orient Express de chegar a seu destino em 1929 ficando vários dias parado no meio do caminho com os passageiros dentro.

"O impossível não pode ter acontecido. Consequentemente, o impossível é possível, a despeito das aparências"

A POLÊMICA POR TRÁS DO CRIADOR DE ALICE

Alice no país das maravilhas é um das mais famosos livros infantis e já foi adaptado para o cinema diversas vezes. A história da menina que cai no buraco de um coelho e vai parar num país cheio de maravilhas e esquisitice até hoje encanta crianças e adultos, mas você sabe como surgiu essa história? Então prepare-se.

Alice foi publicada em 1865 por Lewis Carrol, mas esse era apenas o pseudônimodo escritor que na verdade se chamava Charles Lutwidge Dodgson.  Desde criança Charles gostava de escrever poemas, criar enigmas com palavras, jogos e era ele quem entretia a família. Aos 18 anos ele vai para a Universidade de Oxford e logo após se formar começa a dar aulas de matemática e logica. Era tido como um gênio.


Em 1856 chega a Oxford um novo reitor chamado Henry George Liddell, acompanhado da esposa e dos filhos, entre os quais estão três meninas: a mais velha Lorina, a do meio Alice e a caçula Edith. Charles se torna amigo da família  e se aproxima muito das meninas. Durante os anos de convivência com a família ele tinha a liberdade de sair sozinho com as meninas e passar horas com elas.


Em Julho de 1862, Charles leva as três para um passeio de barco através do rio Tâmisa e durante o passeio, para entreter as meninas ele começa a contar uma história. Assim surge a história que mais tarde se tornaria Alice no país da maravilhas. A menina Alice gosta tanto da história que pede a Charles que a escreva para ela. Charles escreve a história que a principio se chamava Alice no submundo e entrega a menina que fica radiante por sido a inspiração de uma história.

De 1856 até 1862 Charles esteve muito próximo das meninas, mas em 1863 começa um desconforto dos pais em relação a isso e eles proíbem que ele saia sozinho com elas. Charles e as meninas então se afastam.

Nessa época Alice já estava com 12 anos e existem várias teorias sobre o porque desse afastamento. Uma das teorias é que Charles teria proposto casamento a menina, porém muitos não acreditam nisso. Uma forte corrente acredita que foi o próprio Charles que foi se afastando das meninas a medida que elas iam se aproximando da adolescência. Ele sempre teve um grande interesse por meninas, mas meninas crianças e não adolescentes. Aqui começa a polêmica.


A POLÊMICA

Existem documentos que comprovam o jeito como Charles se relacionava com as crianças, especialmente com as meninas. Hoje isso poderia ser considerado pedofilia, mas na época não era. 

Veja um trecho de uma carta que ele escreveu para uma menina de 10 anos.

"Muito, muito obrigado e beijos pelas mechas de cabelo. Eu a beijei várias vezes - por falta de ter você para beijar, sabe... até o cabelo é melhor do que nada".

Charles se interessava muito por fotografia (lembrando que fotografia era novidade na época). Ele faz das fotografias um hobby, ele gostava de fotografar e gostava de fotografar principalmente meninas, e muitas das fotografias deixadas por ele são de meninas nuas.

Todos os diários, cartas e fotos que ele deixou existem até hoje, fazem parte de um arquivo histórico. Eis um trecho de um de seus diários:

"Eu confesso que não admiro meninos nus em imagens. Eles sempre me parecem precisar de roupas, enquanto dificilmente se vê por que as lindas formas das garotas deveriam estar cobertas..."

Apesar das fotos e escritos, não existe nenhuma comprovação de que ele tenha feito qualquer coisa com as crianças.  Também é importante lembrar que na era vitoriana a noção de infância era totalmente diferente da que temos hoje. Naquela época as crianças eram vistas como adultos em miniatura, tanto é que a idade para o consentimento de uma relação era 12 anos.




O LIVRO

Polemicas a parte, o livro Alice no país das maravilhas é um dos grandes clássicos universais e marcou a criação de uma literatura voltada para crianças, coisa que ninguém fazia na época. Mas apesar de ser um livro infantil ele também encanta adultos, e estes se lerem com atenção verão um reflexo do mundo vitoriano naquele estranho lugar em que a menina Alice vai parar motivada por sua grande curiosidade.

Em 1871 ele publicou o livro Alice através no espelho, no qual a menina novamente vai para um mundo completamente sem noção, mas sempre com muitas referencias a cultura e a era vitoriana.



                                           

VALE A PENA TER UM KINDLE?

No post de hoje vou falar sobre o Kindle, o leitor de e-books maravilhoso da Amazon, que inclusive esta em promoção e você pode comprar o seu clicando aqui: Promoção de kindle na Amazon


Mas qual a vantagem em ter um kindle?

Muita gente se pergunta qual a vantagem em comprar em kindle já que dá para ler e-books no celular, no tablet e no computador. Bom, a vantagem é que o kindle é um aparelho feito especialmente para leitura por isso ele conta com recursos que os outros aparelhos não tem.

Um dos mais importantes é que ele não cansa a vista nem dá dor de cabeça como acontece com algumas pessoas que ficam muitas horas lendo no celular ou computador. A tela dele é diferente e você tem a impressão de estar lendo no papel. Na verdade a tela do kindle é completamente diferente da do computador, quem experimenta ama.  Você já esteve com seu celular ao ar livre em dia de sol e não conseguiu enxergar nada? Pois é, com o kindle não tem isso. A tela dele não é reflexiva, e isso quer dizer que você pode ler debaixo do maior sol que vai ver tudo direitinho. 



Outra vantagem é que ele é pequeno e leve, assim você pode leva-lo para todo lugar. Imagine levar um livro físico de 800 páginas na bolsa ou mochila. Haja coluna né, mas com o kindle você leva uma biblioteca inteira pra todo lugar sem pesar nada.  Falando em biblioteca, outra duvida é quantos livros cabem em um kindle? Bom, não sei ao certo até porque isso depende do tamanho dos livros, mas o site da Amazon diz que cabem milhares de e-books.  
A Amazon também disponibiliza audio books.

Você também pode escolher o tipo e o tamanho da letra, isso é ótimo para quem problema de visão. O kindle também permite que você faça marcações e comentários em partes do livros. Leu uma frase linda? É só destacar ela e quando quiser você pesquisa suas frases destacadas, esta tudo ali com um clique, sem ter que ficar folheando o livro pra encontrar aquela frase maravilhosa. Você também pode compartilhar suas marcações e ver as marcações de outros leitores. Não é incrível.  Toda essa sincronização é feita por wi-fi já que o kindle, claro, se conecta a internet.



Dá pra marcar a página, assim quando você entrar no livro já vai direito para a pagina em que você parou. Outra coisa legal é que você pode pesquisar palavras, sim você digita uma palavra e ele já vai para as paginas em que essa palavra aparece. Ótimo para encontrar trechos perdidos.

Leu uma palavra e não sabe o que significa? Sem problemas com um toque você acessa o dicionário e já tem o significado dela. Quando você comprar seu kindle pode escolher entre os vários dicionários disponibilizados pela Amazon e baixa-los gratuitamente. Prontinho, agora sempre que ler uma palavra desconhecida já vai poder ter o significado dela.  Além do dicionario português-português, tem os dicionários português-inglês e de outros idiomas. Isso é ótimo para quem gosta de ler livros em inglês, com um toque na palavra você já tem a tradução dela.

A bateria tem excelente duração. A Amazon garante que a bateria dura semanas, mas claro que isso vai depender de quantas horas por dia você ler. Mas pode ter certeza que dá pra ficar muito tempo lendo sem ter que se preocupar em recarregar seu kindle.


A Amazon tem em seu catalogo milhares de títulos em e-book, e todos os lançamentos já saem na versão digital também. Muitos livros que já estão esgotados nas livrarias estão disponíveis na versão digital. Os preços para livros digitais são bem mais baratos que os livros físicos, na Amazon você encontra e-books a partir de 1 real e eles sempre disponibilizam o primeiro capitulo dos livros gratuitamente, assim você já pode dar uma lida e se gostar compra. Ah! Outra vantagem é que quando você compra um ebook ele já chega no seu kindle na hora, não tem esse de ficar esperando o correio não.


Diferenças entre o Kindle tradicional e o Kindle paperwhite

Na Amazon você tem duas opções de kindle: o tradicional e o paperwhite. Os dois são do mesmo tamanho e tem praticamente as mesmas características, a grande diferença é que o paperwhite tem luz embutida. No kindle tradicional você precisa de uma luz externa para ler. Se você estiver lendo a noite vai precisar estar com a luz ou um abajur aceso. É igual a um livro físico, não dá pra ler no escuro. Já o kindle paperwhite possui iluminação embutida, ou seja, mesmo no escuro é só você ligar a luz do kindle e ler. 



O que é Kindle Unlimited ?

É uma Netflix dos livros. É um serviço de assinatura da Amazon onde você paga R$ 19,90 por mês e pode baixar quantos livros quiser. São milhares de opções de livros em português e em inglês. Vale destacar que você não precisa ter um Kindle para ser assinante do serviço,  você pode ler os livros no computador, celular ou tablet, mas claro que no Kindle a experiencia é muito melhor e mais confortável. 

Para você que se interessou por um Kindle, a Amazon esta com o preço promocional essa semana, escolha o seu modelo e aproveite.